A economista-chefe do Banco Mundial, Carmen Reinhart, pediu esta sexta-feira ao Grupo do 20 (G20) que prolongue a moratória da dívida dos países mais pobres para lá de 2021.

Durante o seu primeiro encontro – virtual – com jornalistas desde que está no cargo, que assumiu em meados no mês passado, Reinhart disse que “a duração da pandemia é muito maior” do que esperado, pelo que há “uma visão clara de que são precisos mais de seis meses”.

O G20 aprovou esta moratória em abril último.

A economista norte-americana, de origem cubana, expressou ainda o desejo de ver o setor privado associar-se.

O universo potencial de países beneficiários é de cerca de 80.

O presidente do Banco Mundial, David Malpass, quantificou o serviço da dívida destes países até ao final do ano em 14 mil milhões de dólares.