A Câmara Municipal de Cascais assegurou alojamento a três famílias desalojadas na sequência do incêndio que deflagrou ao final da tarde de quinta-feira numa zona de mato em Alvide, podendo os munícipes ficar por tempo indeterminado.

De acordo com fonte do município, no distrito de Lisboa, a autarquia “está a pagar hotel” a seis pessoas que se viram obrigadas a abandonar os seus apartamentos por precaução.

A mesma fonte avançou ainda que no total oito famílias ficaram desalojadas, sendo que cinco se encontram em casa de familiares.

Na quinta-feira, pelo menos oito apartamentos ficaram provisoriamente inabitáveis na sequência do incêndio, na freguesia de Alcabideche.

São dois prédios, de três andares cada um. Um deles, o último andar, que tem dois apartamentos, está inabitável provisoriamente. No outro prédio há seis apartamentos” na mesma condição, explicou à agência Lusa o presidente da câmara municipal, Carlos Carreiras (PSD), na quinta-feira.

Questionado sobre se o fogo que atingiu os telhados de dois edifícios atingiu o interior das habitações, o autarca explicou que “não entrou fogo nenhum”, mas “o ataque com a água”, para impedir a propagação das chamas, “acabou por afetar as condições dos apartamentos”.

O incêndio foi dado como dominado ao início da noite e pelo menos um bombeiro ficou ferido durante o combate às chamas, segundo a Proteção Civil.

No local estiveram perto de 300 operações no combate às chamas.

A informação disponível no site da Proteção Civil refere as 18h07 como hora do alerta deste incêndio.