O governo israelita decidiu impor a partir desta sexta-feira “medidas intermédias” para evitar o confinamento geral, por causa da pandemia causada pelo coronavírus SARS-CoV-2, anunciando o encerramento de locais públicos aos fins de semana.

A partir da meia-noite de hoje e até ao domingo de manhã, até nova ordem, os restaurantes e complexos desportivos vão permanecer encerrados, assim como centros comerciais, cabeleireiros, bibliotecas, jardins zoológicos, museus, piscinas, parques de atração turística, e os elétricos não vão circular”, indica um comunicado do gabinete do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e do ministro da Saúde.

Sexta-feira corresponde ao início do shabbat e muitos restaurantes normalmente não se encontram em funcionamento. O domingo é o dia que corresponde ao início da semana, em Israel.

De acordo com a norma divulgada esta sexta-feira, as praias vão ser interditadas a partir do dia 24 de julho, aos fins de semana. Os grupos não podem ultrapassar as dez pessoas nos locais fechados e vinte pessoas ao ar livre, com exceção dos locais de trabalho devidamente autorizados.  “As violações às restrições são consideradas delito”, refere o comunicado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As novas medidas são aplicadas, indica o mesmo documento, “para evitar um novo confinamento geral por causa do forte aumento da mortalidade provocada pelo novo coronavírus”.

Em Israel, país com nove milhões de habitantes, morreram 384 pessoas devido à doença e registam-se 46.059 casos.