Quase 200 pessoas morreram nas inundações e deslizamentos de terras causados pelas monções no Bangladesh, Nepal e Índia, anunciaram este domingo as autoridades desses países do sul da Ásia, que se preparam para a subida das águas nos próximos dias.

De acordo com a agência France-Presse (AFP), no Bangladesh cerca de 67 pessoas morreram e 2,6 milhões foram afetadas pelas inundações causadas pela subida dos cursos de água durante as últimas duas semanas, indicaram as autoridades.

“No total, 55 pessoas morreram afogadas e oito queimadas” no decurso das intempéries, disse à AFP a porta-voz do Ministério da Saúde do Bangladesh, Ayesha Akther.

Segundo o chefe do centro de alerta e de previsão de inundações do Bangladesh, Arifuzzaman Bhuiyan, “a situação que diz respeito às inundações melhorou durante os últimos dias, mas o nível das águas dos rios está a aumentar de novo no norte”.

Um terço do território do Bangladesh está inundado e as autoridades preveem que o número possa subir para 40%, segundo a AFP.

No Nepal, 79 pessoas morreram e 46 estão desaparecidas devido às inundações e deslizamentos de terras, e o Governo alertou que as inundações podem piorar nos próximos três dias.

Na Índia, as inundações causaram 45 mortos no estado de Assam (nordeste) durante as duas últimas semanas, de acordo com as autoridades.

Mais de 100 animais do parque nacional de Kaziranga, classificado como património mundial da UNESCO e que alberga dois terços da população mundial de rinocerontes-indianos (conhecidos pelo seu unicórnio), morreram na sequência das inundações.

As chuvas diluvianas na temporada das monções, entre junho e setembro, provocam todos os anos inundações, deslizamentos de terras e tempestades no sul da Ásia, provocando centenas de mortos.