Há um ano, por esta altura, José Mourinho estava de férias. E há um ano, nesta altura, muito se falou sobre o facto de José Mourinho estar de férias. Ainda sem clube depois de ter saído do Manchester United em dezembro de 2018, o treinador português estava de férias em julho e agosto pela primeira vez em duas décadas. Mas não estava feliz — ou pelo menos não estava tão feliz como consegue ser quando está a treinar, a preparar e a orientar uma equipa de futebol.

“Esta é basicamente a primeira vez que tenho tempo para pensar, a primeira vez que estou em Setúbal no final de julho ou no início de agosto em mais de 20 anos. Tenho tempo para pensar, para repensar, para analisar e o que sinto é mesmo que o Zé está cheio de fogo! Os meus amigos dizem-me para aproveitar o meu tempo, aproveitar julho, aproveitar agosto, aproveitar o que nunca tinha tido. Mas, honestamente, não consigo. Não estou feliz o suficiente para aproveitar. Tenho saudades do meu futebol, tenho o fogo, tenho um compromisso comigo mesmo, com as pessoas que gostam de mim, com tantos fãs que tenho à volta do mundo, tantas pessoas que inspirei”, disse Mourinho no final de julho do ano passado, numa entrevista à Sky Sports, que se deslocou até Setúbal para falar com o português.

“O Zé está cheio de fogo”: Mourinho está de férias mas quer voltar a treinar um grande clube e atira as seleções para o futuro

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.