O FC Porto está nesta fase a terminar uma reforma transversal de toda a estrutura do futebol, tendo como objetivo dar continuidade à vitória no Campeonato da presente temporada e projetando aqueles que serão os próximos anos dos azuis e brancos. E já existem alguns nomes falados, nomeadamente Miguel Ribeiro, antigo CEO que subiu a presidente da SAD do Famalicão, que poderá ocupar o cargo de diretor geral do futebol dos dragões em ligação com Sérgio Conceição e trabalhando como ponto de ligação entre o treinador e o presidente, Pinto da Costa.

Conforme o Observador já tinha referido no programa “Nem tudo o que vai à rede é bola”, os dragões já tinham há muito o desenho de um novo modelo pensado, sendo que há muito que em termos internos se sabia que Miguel Ribeiro poderia mudar-se para o Dragão. O Observador confirmou que o antigo responsável do Famalicão foi convidado, sendo que o timing definido para um acordo deveria ser outro, ou no final do Campeonato (a equipa revelação da prova necessita ainda de um ponto para vencer a corrida pelo quinto lugar ao Rio Ave) ou após a final da Taça de Portugal, com o clássico entre FC Porto e Benfica que vai fechar a temporada.

De referir que, apesar dessa possível mudança e de já antes haver jogadores do Famalicão referenciados pela estrutura do FC Porto, a chegada de Miguel Ribeiro seria sempre uma movimentação à parte de possíveis propostas que possam chegar pelos jogadores que mais se têm destacado pelos famalicenses na presente temporada, casos de Nehuén Pérez, Alex Centelles (defesas), Gustavo Assunção – que é filho do antigo médio brasileiro dos dragões Paulo Assunção –, Pedro Gonçalves (médios), Rúben Lameiras e Toni Martínez (avançados).

Em paralelo, e como já tinha sido referido na Rádio Observador, Vítor Baía, eleito vice-presidente da Direção que Pinto da Costa lidera após o último sufrágio, vai ocupar uma das vagas no Conselho de Administração da SAD em sintonia com a estrutura do futebol, tendo até estado nas negociações que levarão Cláudio Ramos, guarda-redes do Tondela, para os azuis e brancos na próxima temporada. Luís Gonçalves não sairá do clube, embora deva passar a ter outras funções que não as que ocupava desde a saída de Antero Henrique do Dragão.

Também o departamento de scouting vai continuar a ser reforçado, dando continuidade à contratação de Daniel Barreira, professor na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto que depois de ter estado na formação de Boavista (onde deu ajuda também a Jesualdo Ferreira, antes de ir para o FC Porto), V. Guimarães ou Leixões, e de ter sido técnico adjunto dos seniores do Trofense, esteve os últimos quatro anos no departamento de recrutamento do Barcelona. De referir que, também no seguimento das eleições, Pinto da Costa tinha apostado em Fernando Gomes para vogal da Direção e responsável máximo pelo departamento de scouting dos azuis e brancos.