A alteração à Lei da Nacionalidade, que permite que os filhos de imigrantes a viver em Portugal há um ano sejam portugueses, tem aprovação garantida na quinta-feira com os votos do PS, PCP e PAN.

A comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias assumiu esta terça-feira as votações indiciárias feitas em grupo de trabalho, estando prevista a votação na especialidade em plenário, na quinta-feira, dia em que também se fará a votação final global.

O Bloco de Esquerda ainda não formalizou o seu sentido de voto, mas deverá votar a favor, segundo fonte da bancada bloquista.

A juntar-se aos deputados do PS, PCP, PAN (121), com o BE a maioria poderá subir até aos 140 votos.

Segundo a Constituição, as leis orgânicas, como é a da Nacionalidade, “carecem de aprovação, na votação final global, por maioria absoluta dos deputados em efetividade de funções”.

A última alteração a esta lei feita foi em 2018.