O Fundo da Área de Reabilitação Urbana do Fundão, que é promovido pela autarquia local, já contribuiu para a recuperação de 55 habitações do concelho desde 2013.

O investimento para a recuperação destas habitações foi de cerca de um milhão de euros, alavancados com a comparticipação pública municipal de mais de 170.000 euros. Neste momento, estão a ser liquidados os valores das últimas candidaturas”, especifica aquela autarquia do distrito de Castelo Branco, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

O município, que é liderado por Paulo Fernandes, lembra que este apoio incide na zona antiga do Fundão e na área de reabilitação urbana de Alpedrinha.

No primeiro caso, o fundo foi criado em 2013 e, desde então, já foram recuperadas 50 habitações.

Já em Alpedrinha, o apoio financeiro municipal para as obras de reabilitação de casas no perímetro da área urbana foi instituído em 2017 e, até agora, abrangeu cinco habitações da vila.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As intervenções, essencialmente de conservação e reparação, regem-se sobre diretrizes estabelecidas em regulamentos municipais próprios que obedecem a três critérios de reabilitação urbana que incluem intervenções em coberturas, alvenarias e caixilharias”, é referido.

A autarquia também ressalva que, além deste fundo, também criou incentivos fiscais, nomeadamente redução de IRS e IRC, isenção parcial (25% a 50%) do IMI e IVA à taxa reduzida de 06%.

Relativamente às Áreas de Reabilitação Urbana, o Município do Fundão aplica ainda uma redução de 50% na emissão de alvará de obra, no alvará de utilização e na taxa de ocupação de via pública.