Afinal, o líder do PSD não estava a criticar a contratação de Cristina Ferreira pela TVI. Pelo menos foi o que garantiu esta terça-feira, depois de ouvir a reação da Media Capital às vozes mais críticas sobre a contratação da apresentadora que até sexta-feira dava a cara nas manhãs da SIC.

No sábado, Rui Rio escrevia no Twitter — acrescentando uma ligação para a notícia do Expresso sobre uma eventual indemnização à SIC pela quebra de contrato de Cristina Ferreira — que se percebia “o apoio de 15 milhões de euros do Governo a este setor”.

Em resposta às críticas, a Media Capital argumentou que “ainda não recebeu” as verbas relativas à compra antecipada de publicidade institucional do Estado.

Rui Rio ouviu e quis esclarecer que, afinal, não estava a criticar a Media Capital “nem a contratação da Cristina Ferreira”. 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Eu critiquei o Governo”, escreve o líder dos sociais-democratas considerando ainda “esquisito” que tenha sido a dona da TVI a responder-lhe.

Em causa o pacote de 15 milhões de euros para antecipar a compra de publicidade institucional aos media portugueses durante o ano de 2020, que o Governo anunciou em abril. Este apoio foi recusado pelo Observador e pelo Eco. Porém, outro meios aceitaram, tendo a SIC e a TVI ficado com a maior fatia deste apoio, com o grupo Impresa a receber 3,491 milhões de euros e a Media Capital 3,342 milhões de euros.