A secretária da Inclusão e Cidadania da Madeira disse esta quarta-feira que cerca de 700 famílias receberam apoios do fundo de emergência social criado pelo Governo Regional para fazer face às consequências da pandemia da Covid-19.

Augusta Aguiar falava na Assembleia da Madeira, no debate na generalidade do Orçamento Suplementar apresentado pelo executivo madeirense. A governante salientou que o fundo de emergência, com uma dotação de cinco milhões de euros, “foi criado há apenas dois meses”, tratando-se de “uma medida inovadora e pioneira” para dar resposta às situações relacionadas com esta crise pandémica.

“As medidas de apoio à pandemia da Covid-19 são dinâmicas”, realçou, indicando que as diferentes organizações sociais parceiras na atribuição de ajudas às famílias e aos trabalhadores “têm a possibilidade de alargar o seu espetro”. As pessoas que beneficiam do fundo de emergência, com “aplicação até 31 de dezembro”, apresentam as respetivas despesas para receberem as ajudas.

Augusta Aguiar também referiu que “140 trabalhadores informais receberam apoios na ordem dos 15 mil euros“, sendo igualmente abrangidos os trabalhadores sazonais.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A proposta de Orçamento Suplementar da Madeira apresentada pelo Governo Regional de coligação PSD/CDS adiciona 287,7 milhões de euros ao valor aprovado para 2020, passando de 1.743 milhões de euros para 2.030 milhões.

Para a área social, a Secretaria Regional da Inclusão e Cidadania beneficia de um reforço financeiro, estando previsto 27 milhões de euros para o complemento ao salário dos trabalhadores em layoff e manutenção de postos de trabalho, além de outros 33 milhões para a inclusão social e o combate à pobreza.