A Assembleia Municipal (AM) de Alcobaça aprovou esta quinta-feira, por maioria, o relatório de contas consolidadas da câmara, que fechou o ano de 2019 com um resultado líquido positivo superior a 676 mil euros.

A verba, de 676.823 euros, respeita à consolidação dos montantes movimentados em 2019 pela câmara, pelos serviços municipalizados e pelo MercoAlcobaça (parque de negócios), que se encontra em processo de dissolução, pelo que não foram apresentadas demonstrações financeiras de 2019 relativas a este espaço.

De acordo com o relatório de gestão, a que a agência Lusa teve acesso, o resultado líquido do exercício da Câmara ascendeu, em 2019, a 372,4 mil euros.

A receita total cobrada durante o ano de 2019 foi de pouco mais de 46 milhões de euros, dos quais 30,4 milhões de euros referentes a receitas correntes em que os impostos diretos (13,1 milhões de euros) representaram a maior fatia, seguidos das transferências correntes (11,1 milhões de euros).

As receitas de capital totalizaram 3,9 milhões de euros, dos quais 3,6 milhões de euros referentes a transferências.

O montante total de despesas executadas em 2019 foi de 29,2 milhões de euros, sendo 22,4 milhões de euros relativos a despesas correntes e 6,7 milhões de euros referentes a despesas de capital.

A rubrica com maior peso nas despesas foi a aquisição de bens e serviços, que totalizou 11,7 milhões de euros, seguido das despesas com pessoal, que ascenderam a 7,4 milhões de euros.

O relatório de gestão da autarquia dá ainda nota de que o orçamento da receita teve uma execução de 93%, tendo sido liquidados 47,7 milhões de euros e cobrados 46 milhões de euros.

Na despesa foram cabimentados 39 milhões de euros, comprometidos 37,8 milhões de euros e faturados 29,2 milhões de euros.

Em 2019, as grandes opções do plano tiveram uma execução de 21,3 milhões de euros, dos quais 8,8 milhões de euros aplicados nas funções sociais, 6,8 milhões de euros nas funções gerais, 4,5 milhões de euros nas funções económicas e 1,3 milhões de euros em funções diversas.

No que toca ao endividamento, a Câmara de Alcobaça, liderada pelo social-democrata Paulo Inácio, terminou o ano de 2019 com uma dívida de médio e longo prazos na ordem dos 1,6 milhões de euros (menos 665 mil euros que em 2018). A dívida de curto prazo totalizava 2,3 milhões de euros, dos quais 849 mil euros são referentes a operações de tesouraria, 56 mil euros relativos ao empréstimo do Fundo de Apoio Municipal e 386 mil euros referentes ao serviço da dívida para 2020.

As contas consolidadas foram aprovadas por maioria, com os votos favoráveis do PSD, as abstenções do PS e os votos contra da CDU.