A Câmara de Vila Nova de Gaia apresentou resultados de análises à água do rio Douro nos areinhos de Oliveira do Douro, Avintes, Arnelas, Crestuma e Lever contrários aos anunciados esta sexta-feira pelas freguesias de Avintes e Oliveira do Douro.

Em comunicado, a autarquia do distrito do Porto disse que “foi vinculada informação desatualizada nas páginas de Facebook das juntas de freguesia de Oliveira do Douro e de Avintes, entretanto divulgada na comunicação social, referentes aos valores de análises efetuadas nos areinhos fluviais de Vila Nova de Gaia, concretamente no areinho fluvial de Oliveira do Douro e Avintes”.

As duas juntas de freguesias desaconselharam esta sexta-feira a população a ir a banhos nos respetivos areinhos devido à concentração de E. Coli e enterococos.

Precisando não estarem estes dois locais “classificados como praias”, a câmara mantém “um rigoroso programa de monitorização, sendo ainda vigiados por Nadadores Salvadores e possuindo uma zona de balizamento para garantir a segurança dos utilizadores”.

Não obstante dos valores reportados nas páginas das juntas de freguesia, referentes a análises realizadas em 15 de julho de 2020, a Águas de Gaia E.M. S.A. realizou, através de laboratório independente, análises no passado dia 21 de julho de 2020 à água do Rio Douro”, informou o município.

Versando os “areinhos de Oliveira do Douro, Avintes, Arnelas, Crestuma, e também em Lever”, as análises indicaram “valores abaixo do limite legal, em ambos os parâmetros analisados (parâmetros que a legislação em vigor determina para avaliação da qualidade da água balnear), ou seja, Escherichia Coli e Enterococos”.

Refere o comunicado da câmara que no caso de Oliveira do Douro, “o resultado da análise microbiológica a Escherichia Coli (Norma/Método ISO 9308-3:1998/cor 1:2000) é de 200 NMP/100 ml quando o valor limite é de 1500 NMP/100 ml e Enterococos (Norma/Método ISO 7899-1:1998/cor 1:2000) é de 61 NMP/100 ml e o valor limite é de 500 NMP/100 ml”.

No caso de Avintes, continua a nota de imprensa, “o resultado da análise microbiológica a Escherichia Coli (Norma/Método ISO 9308-3:1998/cor 1:2000) é de 780 NMP/100 ml quando o valor limite é de 1500 NMP/100 ml e Enterococos é de 15 NMP/100 ml e o valor limite é de 500 NMP/100 ml”.

O executivo considera em ambos os casos, assim como nas outras três áreas fluviais analisadas, estar a “água própria para banhos, quanto às determinações efetuadas”, e informa “ter enviado para a Administração Regional de Saúde do Norte os resultados destas contra-análises”.

Informamos ainda que estes espaços são de lazer e que, embora não sejam classificados como praias, têm a mesma atenção e cuidado, quer ao nível do controlo e monitorização analítica, quer pelo cuidado nas infraestruturas e principalmente no apoio e vigilância a banhistas, verificando-se por parte dos utilizadores o respeito pelas recomendações da Direção-Geral da Saúde”, observa a autarquia.