Trinta e quatro polícias estão atualmente infetados com Covid-19 e 102 estão de quarentena, avançou esta sexta-feira a Polícia de Segurança Pública ao assegurar que todas as esquadras estão a “funcionar normalmente”.

Numa nota para fazer um ponto de situação sobre os efeitos da Covid-19 na instituição, a PSP sublinha que 185 elementos já regressaram ao serviço após terem sido infetados, 1.172 depois de terem apresentado um resultado negativo no teste de diagnóstico e 80 que se encontravam a acompanhar familiares ou outros dependentes.

No total e desde o início da pandemia, regressaram ao serviço 1.437 elementos da PSP, entre polícias e técnicos sem funções policiais.

Esta força de segurança refere que, na sequência da priorização garantida pelo Ministério da Saúde ao pessoal da PSP, o número médio de dias de quarentena até à realização do teste de despistagem é de quatro dias, “condição de grande relevo para garantir a adequada proteção” e manter “a capacidade operacional”.

A PSP indica também que “conta permanente” com o apoio do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa do Instituto Nacional de Emergência Médica na realização de testes à Covid-19 ao pessoal com funções nesta polícia.

A PSP assegura ainda que mantém a distribuição, “segundo as necessidades permanentemente monitorizadas e identificadas”, de viseiras de proteção individual, kits de proteção individual, óculos de proteção, máscaras FFP2, máscaras cirúrgicas, luvas descartáveis, doseadores e pulverizadores e solução antisséptica para desinfeção de mãos.

Segundo a PSP, este material de proteção foi ainda reforçado com a distribuição de equipamento de descontaminação e barreiras de proteção em policarbonato, colocadas nos locais de atendimento ao público.

Portugal regista, desde o início da pandemia, 49.379 casos de infeção confirmados e 1.705 mortes.