A Câmara de Santo Tirso aumentou de 13 para 123 o número de linhas de transporte público no concelho, conseguindo agora abranger as antigas freguesias de São Salvador do Campo e São Mamede de Negrelos, foi esta sexta-feira anunciado.

Os transportes públicos retomaram o seu funcionamento no concelho em 8 de junho, “depois de um interregno provocado pela pandemia e pelas dificuldades financeiras apresentadas pelas operadoras, incapazes de fazer face aos serviços mínimos ainda durante o mês de maio”, recorda a nota de imprensa.

As antigas freguesias passaram através da reorganização administrativa de 2013 a integrar a então criada freguesia de Vila Nova do Campo, que inclui também São Martinho do Campo.

Com a inclusão no Orçamento Suplementar de uma verba de 94 milhões de euros, destinados a apoiar o serviço de transportes públicos, oito milhões de euros dos quais canalizados para a Área Metropolitana do Porto com vista a reforçar a rede de transportes públicos, o serviço no município de Santo Tirso passou a funcionar com 80% da oferta que se verificava antes da pandemia”, explicou o presidente da câmara, citado no comunicado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Neste contexto, refere Alberto Costa, a “autarquia conseguiu, inclusivamente, reforçar a rede pública no território municipal” fazendo “chegar carreiras às antigas freguesias de São Salvador do Campo e São Mamede de Negrelos”.

Antes disso, “e para fazer face aos problemas, logo a 18 de maio, com o arranque das aulas do 11.º e 12.º anos, o município de Santo Tirso teve de suportar um encargo financeiro resultante da disponibilização de recursos humanos e de viaturas para garantir os transportes escolares”, acrescenta.

Já em junho, a Câmara Municipal teve, também, de assumir uma responsabilidade financeira de cerca de 100 mil euros para assegurar os serviços essenciais a toda a população”, refere.

Ainda segundo a autarquia, o serviço “funciona de acordo com as recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS), nomeadamente com redução do número máximo de passageiros para dois terços da lotação dos autocarros de forma a garantir o distanciamento social e a segurança do posto de motorista”.

É ainda obrigatório o uso de máscara e/ou viseira no interior do transporte de passageiros. Outra medida passa pela constante limpeza e desinfeção dos autocarros, tendo por base as diretrizes das autoridades de saúde”, sublinha.

Portugal contabiliza pelo menos 1.712 mortos associados à Covid-19 em 49.692 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da DGS.