O número de casos confirmados de Covid-19 em Portugal subiu para 49.955 esta sábado, 25 de julho, depois de terem sido registados 263 novos contágios nas últimas 24 horas, de acordo com o relatório da Direção-Geral de Saúde (DGS). O número de casos aumentou em 0,6%. Já o número de mortos subiu em quatro, o que representa uma subida de 0,2% e eleva o total de óbitos para 1.716. Desta forma, a taxa de letalidade da Covid-19 em Portugal é de 3,43%.

Do relatório divulgado este sábado ao início da tarde, há vários pontos a destacar: o número de mortes e casos; a descida do número de internados em Unidades de Cuidados Intensivos para níveis do final de março; a distribuição geográfica das novas infeções, que continuam a concentrar-se na região da capital, mas têm vindo a aumentar noutras regiões; e as faixas etárias mais afetadas.

Mais 4 mortes, três das quais de pessoas com mais de 80 anos

O número de mortes subiu em 4 (uma descida em relação aos 7 da véspera), elevando desta forma o total de mortos para 1.716 desde o início da pandemia em Portugal. Das quatro mortes em causa, a DGS indica que se trata de dois homens (um entre os 70 e os 70 anos e outro com mais de 80) e de duas mulheres (ambas acima dos 80 anos).

Em termos de distribuição geográfica, três dos mortos foram registados em Lisboa e Vale do Tejo e o quarto óbito ocorreu no Alentejo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Internados em cuidados intensivos recuam ao mesmo valor de 24 de março

O número de internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) baixou nas últimas 24 horas para 50 (menos dois do que na sexta-feira). Desta forma, estamos perante o número mais baixo neste tipo de internamento desde 24 de março, altura em que foram anunciados 48 internados em UCI. A grande diferença é que, nessa altura, a tendência era para subir (no dia seguinte subiu para 61) e neste momento é de descida.

Também no internamento geral há uma descida, dos 420 de sexta-feira para os 410 anunciados este sábado.

Lisboa e arredores com maior parte dos casos, mas noutras regiões os números estão a subir

Dos 263 casos registados nas últimas 24 horas, 183 fora registados na região de Lisboa e Vale do Tejo — ou seja, 69,6% dos casos são na capital e arredores.

A tendência de a maior parte dos casos se concentrar em Lisboa e Vale do Tejo vem detrás, mas a verdade é que tem vindo a diminuir em relação a outras alturas, em que chegou a ter mais de 90% do casos. Isto, em contexto de poucas variações nos números totais de novos casos, quer dizer que a fatia que cabe às outras regiões é forçosamente maior do que nas últimas semanas.

Desta forma, a DGS dá conta de 46 novos casos no Norte, que à véspera tinha 26 e 21 no Sul/Algarve, que tinha 11. Além disso, a descer de sexta-feira para sábado, está o Centro (agora com 9) e o Alentejo (4). Nos Açores e na Madeira não há novos registos.

Faixa dos 30-39 anos com mais contágios, grupo de maior risco é o menos afetado

No que diz respeito às faixas etárias, são as pessoas em idade ativa que registam mais casos. Desta vez, no boletim deste sábado, foi a faixa dos 30-39 anos a registar mais contágios: 57 dos 263, o que significa que 21,7% dos novos infetados estão entre aquelas idades.

Refira-se ainda que a faixa com mais risco (a que está acima dos 80 anos), é a que tem menos casos. Confira a lista completa aqui:

0-9 anos – 14
10-19 anos – 20
20-29 anos – 49
30-39 anos – 57
40-49 anos – 44
50-59 anos – 29
60-69 anos – 26
70-79 anos – 16
80 ou mais anos – 8