O número de casos confirmados de Covid-19 em Portugal subiu para 50.164 esta domingo, 26 de julho, depois de terem sido registados 209 novos contágios em 24 horas, de acordo com o relatório da Direção-Geral de Saúde (DGS). O número de casos aumentou em 0,4%. Quanto a mortes só foi registada uma, o que eleva o total de óbitos para 1.717. Desta forma, a taxa de letalidade da Covid-19 em Portugal é de 3,42%.

Do relatório divulgado este domingo ao início da tarde, há vários pontos a destacar: a descida do número de internados em Unidades de Cuidados Intensivos para níveis do final de março; a distribuição geográfica das novas infeções, que continuam a concentrar-se na região da capital, mas que subiram consideravelmente no Alentejo; e as faixas etárias mais afetadas.

Ultrapassada a barreira dos 50 mil casos

Nas últimas 24 horas houve mais um morto (depois de 4 na véspera), pelo que a contagem total de óbitos sobe assim para os 1.717. O óbito registado é o de um homem entre os 70 e os 79 anos, residente em Lisboa e Vale do Tejo.

Em termos simbólicos, é porém outro dado que vale a pena destacar este domingo: com uma subida de 209 casos, o total de diagnósticos ao longo da pandemia quebra a barreira dos 50 mil e fixa-se agora nos 50.164.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Internados em cuidados intensivos recuam ao mesmo valor de 24 de março

O número de internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) baixou nas últimas 24 horas para 48 (menos dois do que no sábado). Desta forma, o número de pessoas internadas neste regime recua ao mesmo número anunciado a 24 de março. A grande diferença a salientar é que nessa altura a tendência era para subir (no dia seguinte, 25 de março, já havia 61 internados) e agora a tendência é de descida. No espaço de uma semana, há menos 13 pessoas em UCI.

Também o número de doentes no internamento geral é o mais baixo desde o final de março. Este domingo, foram anunciados 403 doentes internados — o que representa o número mais baixo desde 354 anunciados a 27 de março.

Lisboa e Vale do Tejo com 74% dos casos, Alentejo é segunda região mais afetada

Entre os 209 novos casos, um total de 155 foram registados em Lisboa e Vale do Tejo. Quer isto dizer que a região da capital e arredores é de longe a mais afetada, com 74,2% dos casos.

A segunda região mais afetada é o Alentejo, que registou mais 17 casos — um salto considerável, tendo em conta que na véspera tinha tido apenas 4 casos.

Depois houve também 16 casos no Norte, 15 no Sul e 5 no Centro. Quanto aos Açores e à Madeira, continua a não haver novos casos.

Faixa dos 30-39 anos com mais contágios, grupo de maior risco é o menos afetado

O grupo etário que regista mais casos de infeção nas últimas 24 horas é o que situa entre os 20-29 anos, com um total de 43 casos entre os 209 anunciados — ou seja, 20,6% do total. Esta é a única faixa etária com mais de 40 casos este domingo.

Confira o resto da lista, consoante o grupo etário:

0-9 anos – 22
10-19 anos – 7
20-29 anos – 43
30-39 anos – 32
40-49 anos – 31
50-59 anos – 32
60-69 anos – 16
70-79 anos – 10
Mais de 80 anos – 15
Desconhecido – 1

Apesar dos dados apresentados este domingo, a faixa etária que continua a registar mais casos ao longo da pandemia é a que vai dos 40 aos 49 anos, com 8.263 casos. Segue-se a dos 30-39 (8.167), 20-29 (7.617), 10-19 (7.617), 50-59 (7.578), mais de 80 (5.758), 60-69 (5.025), 70-79 (3.490), 10-19 (2.263) e finalmente os mais novos, com menos casos. Dos 0 aos 9 anos, houve até hoje 1.727 diagnósticos. Sobram ainda 67 de idade desconhecida.