Esta “história” tem tudo para fazer crescer água na boca, ou não associasse um Mustang Mach-E eléctrico muito especial, com 1400 cv, e Ken Block, o mais conhecido acrobata, conhecido como o artista dos piões e das derrapagens controladas.

aqui falámos deste “monstro” da Ford, fabricado como se tratasse de um carro de competição. A base é o novo Mustang Mach-E, o SUV eléctrico que a marca da oval azul está em vias de lançar no mercado, mas entre a versão de série que os clientes poderão adquirir e esta máquina infernal, com sete motores eléctricos e 1400 cv, as semelhanças ficam-se pela zona central do chassi.

Mustang Mach-E 1400: eléctrico da Ford até assusta

O Ford Mustang Mach-E 1400 já mostrou as habilidades que é capaz de fazer, mas agora temos um novo cicerone para nos revelar os pormenores: Vaughn Gittin, um dos fundadores da RTR, empresa que desenvolveu, em parceria com a Ford Performance, e construiu o Mach-E 1400. Aí ficámos a saber que três dos sete motores eléctricos estão à frente, com os outros quatro na traseira, todos eles a extrair energia de uma pequena bateria com 56.8 kWh, mas 680 kg. A gestão dos motores permite-lhe ter todos os motores a funcionar para a frente, para trás e até os da frente num sentido e os traseiros noutro, sendo visível em alguns pontos do vídeo que o Mach-E 1400 parece recorrer a apenas tracção traseira.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A suspensão anterior nada tem a ver com a de série (nada indica que não se passa o mesmo com a posterior, apesar de não ter sido mostrada), montando um sistema de triângulos sobrepostos e um conjunto mola-amortecedor oblíquo, funcionando tipo “cantilever”, como se tratasse de um fórmula.

A capacidade de refrigeração é brutal, para manter os motores dentro da temperatura de funcionamento, tanto ao nível da água como do óleo, existindo para tal um mais que generoso conjunto de radiadores à frente e outro ainda maior atrás.

A última loucura de Ken Block: à beira do abismo

Depois das explicações técnicas do construtor, é a vez de Ken Block passar para o volante. Como seria de esperar, o acrobata estranhou a ausência do rugido do motor V8 com duplo compressor volumétrico do seu Mustang de 1965 que, curiosamente, também debita 1400 cv. Mas não tardou muito para que Block lhe apanhasse o jeito, ficando impressionado pela rapidez, apesar da ausência de labaredas a sair pelo escape e admissões.