O Tondela venceu este domingo o Moreirense por 2-1, graças a duas grandes penalidades convertidas no final de cada parte, na 34.ª e última jornada da Primeira Liga portuguesa de futebol, e garantiu a permanência pela quinta época seguida.

A turma beirã adiantou-se no marcador aos 45 minutos, após uma primeira parte equilibrada, em que teve um ligeiro ascendente, por João Pedro, sofreu na segunda parte com a reação cónega’ que valeu o tento do empate de João Aurélio, aos 70 minutos, e beneficiou de novo penálti no final do desafio, convertido por Pepelu, aos 90′.

O Tondela, que precisava somente de um ponto para se manter no escalão maior do futebol nacional, assegurou o objetivo na última jornada pela quarta vez em cinco épocas, depois de já o ter feito em 2015/16, 2016/17 e 2018/19, e terminou a edição de 2019/20 da I Liga na 15.ª posição, com 34 pontos.

Já o Moreirense encerrou com uma derrota uma época em que atingiu o oitavo lugar, com 43 pontos, a segunda melhor classificação na sua história, atrás do sexto lugar obtido na temporada 2018/19, com 52 pontos.

O conjunto beirão criou a primeira ocasião de golo do desafio, quando os anfitriões até tinham mais bola, mas Yohan Tavares desperdiçou a falha de Pasinato na sequência de um livre e cabeceou por cima com a baliza deserta, ao minuto oito.

Os cónegos responderam num disparo de Luther Singh junto à meia lua, que proporcionou uma defesa apertada a Babacar Niasse, aos 18 minutos, mas o Tondela começou a impor-se aos vimaranenses a partir do minuto 20, trocando a bola com frequência no meio-campo adversário, e criando dois lances com algum perigo por Jonathan Toro, aos minutos 24 e 33.

O esforço tondelense deu frutos nos minutos finais da primeira parte, quando um remate de Jhon Murillo embateu na mão de Abdu Conté já no interior da área cónega e o árbitro Luís Godinho assinalou penálti. João Pedro apontou o seu quarto golo da época na conversão e aproximou os beirões da permanência.

Os jogadores do Moreirense apareceram com mais rapidez e maior envolvimento ofensivo após o intervalo, e a corrente do jogo começou a fluir quase sempre para a baliza do Tondela, com Nuno Santos a criar o primeiro lance de perigo, num livre que passou ao lado do poste esquerdo, aos 50 minutos.

A bola continuou a circular no meio-campo beirão e o empate acabou por se consumar aos 70 minutos: a bola sobrou para a entrada da área onde apareceu João Aurélio a desferir um potente remate, que tabelou em Yohan Tavares e traiu Babacar Niasse.

Numa altura em que tanto o Portimonense, como o Vitória de Setúbal já venciam os outros jogos do dia, o Tondela continuou recuado, mas conseguiu, ainda assim, ameaçar o segundo golo, num cabeceamento de Ronan ao lado, aos 82 minutos, e beneficiar, depois, de um penálti cometido por Steven Vitória sobre Richard Rodrigues.

Com o objetivo da época no pé direito, Pepelu atirou para o meio da baliza e selou a continuidade do único representante do centro de Portugal na I Liga.