Os presidentes da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, e da Rússia, Vladimir Putin, conversaram este domingo telefonicamente, saudando o cessar-fogo na região de Donbass que se inicia à meia-noite, disseram as autoridades ucranianas.

O acordo de cessar-fogo entre as forças ucranianas e os rebeldes separatistas no leste da Ucrânia foi alcançado na quarta-feira, depois de encontros entre membros do Grupo de Contacto Tripartido, que inclui representantes da Rússia, Ucrânia e da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), responsável pelo acordo de Minsk.

O acordo de Minsk, assinado em 2015, foi intermediado pela França e pela Alemanha, com o objetivo de resolver o confito entre os separatistas apoiados pela Ucrânia e os apoiados pela Rússia, que eclodiu em 2014, após a anexação da Crimeia por Moscovo, e que já provocou mais de 14.000 mortes.

Moscovo e Kiev concordaram no início deste mês em apaziguar o clima de escalada de conflito na região de Donbass, no leste da Ucrânia, tendo chegado ao acordo de cessar-fogo após várias rondas de negociações. Domingo, Zelensky e Putin “saudaram o acordo para o cessar-fogo completo e abrangente”, segundo a presidência ucraniana.

Zelensky também terá pedido esforços redobrados para libertar cidadãos da Ucrânia detidos na Crimeia. Por seu lado, o Kremlin sublinhou a importância do “respeito incondicional pelos acordos” neste conflito.

O acordo de paz prevê que a Ucrânia apenas poderá recuperar o controlo da sua fronteira com a Rússia nas regiões controladas pelos separatistas depois de terem conseguido realizar eleições locais. O acordo ajudou a diminuir a intensidade do conflito, mas as forças ucranianas e os rebeldes separatistas têm mantido as hostilidades, com ataques mútuos.

O Presidente Volodymyr Zelensky, que venceu as eleições de 2019 com a promessa de acabar com o conflito, tem pressionado a Rússia para ajustar o cronograma estabelecido no acordo, de forma a que a Ucrânia seja capaz de controlar a sua fronteira, ainda antes de realizar eleições locais, mas o Kremlin insiste que o acordo deve ser implementado sem qualquer revisão.

Durante sua tradicional bênção dominical na Praça de São Pedro, o Papa Francisco também elogiou o cessar-fogo que se inicia esta noite, acrescentando que ele deve ser colocado em prática para restaurar a confiança e estabelecer as bases para uma reconciliação muito necessária e há muito esperada.