O arquipélago dos Açores registou mais cinco casos de infeção pelo novo coronavírus, o que representa 3,70% do total de infetados contabilizados nas últimas 24 horas em Portugal, revela o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de novos casos iguala o que havia sido registado há mais de uma semana, a 19 de julho. Ambos os dias são aquele em que um maior número de novas infeções foi contabilizado nos Açores desde 26 de abril.

De acordo com o mais recente relatório de situação, nas últimas 24 horas foram contabilizados 135 novos casos e duas mortes pela doença provocada pelo novo coronavírus. Este é o número mais baixo de novos casos diários desde quarta-feira. A taxa de letalidade portuguesa é de 3,42%, seguindo em tendência decrescente.

Cento e um desses novos casos foram identificados em Lisboa e Vale do Tejo, que representa pouco menos de 75% de todos os infetados contabilizados desde domingo. Há 12 concelhos sem novos casos na última semana, 18 concelhos que não passam dos cinco, nove até aos 20 casos semanais, cinco concelhos entre 20 e 50 casos numa semana e sete  acima de 50.

Além de Sintra (mais 219 desde a semana passada), Lisboa (mais 169), Amadora (mais 95), Loures (mais 87) e Odivelas (mais 87) — que já eram os concelhos da região de Lisboa e Vale do Tejo com maior número de casos — juntam-se Cascais (mais 80) e Vila Franca de Xira (mais 53) à lista dos concelhos com mais de 50 casos de infeção.

No entanto, enquanto o número de casos em Lisboa (mais 12) e Odivelas (mais 11) aumentou em relação à semana anterior, ele diminuiu em Sintra (menos 38), Loures (menos 22) e Amadora (menos seis). Tomar foi onde houve o maior aumento percentual de uma semana para a outra: a percentagem duplicou após ter sido identificado um surto na semana passada que disparou o número de casos de 16 para 32.

Esta atualização dos números de casos por concelho surge no mesmo dia em que os líderes das autarquias vão reunir para decidir o fim ou prolongamento do estado de calamidade em algumas das freguesias em Lisboa e Vale do Tejo.

Nas outras regiões do país, o Norte tem este domingo 16,3% dos casos (mais 22 do que no domingo) e o Centro mais 2,96% dos casos (mais quatro). O Alentejo, que de acordo com a ministra da saúde Marta Temido está agora com um valor médio do risco de transmissão (RT) de 1,09 — o mais elevado do país — tem mais três casos que no domingo (2,22% dos casos). A Madeira e o Sul não registaram novos casos.

Número de recuperados baixa para valores do início do mês

As duas mortes por Covid-19 registadas entre a meia-noite de sábado e a meia-noite de domingo foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo. É um homem com entre 70 e 79 anos; e uma mulher com 80 anos ou mais. Quanto ao número de casos, 55 indivíduos do sexo masculino e 80 do sexo feminino. Em ambos os casos, a faixa etária mais atingida é a dos 20 aos 29 anos. Mas, de forma geral, as mulheres dos 40 aos 49 anos e os homens com 30 a 39 anos são os mais atingidos pela Covid-19.

Há mais 11 pessoas internadas nos hospitais por causa da Covid-19, mas menos três na unidade de cuidados intensivos. É a primeira vez que o número de internados sobe desde quarta-feira passada. Contabilizam-se ainda mais 158 recuperados da Covid-19, o número mais baixo desde 6 de julho mas igual ao que havia sido anunciado a 13 de julho.

O número de casos suspeitos verificados nas últimas 24 horas é o mais baixo desde 3 de julho. São 1.071, segundo o boletim da DGS. Há menos 32 pessoas a aguardar resultados, menos 37 em vigilância e mais 968 casos que testaram negativo para uma infeção pelo novo coronavírus. Este número não baixa abaixo dos 1.000 desde 28 de junho.