A aldeia de Trinta, no concelho da Guarda, dispõe de uma unidade de alojamento e de apoio aos peregrinos que percorram o Caminho de Santiago pela Via de Portugal Nascente, foi anunciado esta segunda-feira.

O Albergue de Peregrinos dos Trinta ocupa um dos pisos do edifício do Centro de Recursos Partilhados – Casa Tavares, que foi doado à freguesia por uma família de industriais.

A estrutura de apoio aos peregrinos possui uma área de convívio, sala de refeições e cozinha, serviços de apoio (lavagem de roupa, casas de banho e zona de duches), dormitório em beliches (lotação máxima para 20 pessoas) e um pequeno logradouro, segundo o presidente da União de Freguesias de Corujeira e Trinta, Carlos Fonseca.

O espaço está decorado com motivos relacionados com a indústria têxtil (mantas e cobertores) e com fotografias sobre a temática da lã e da pastorícia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Segundo o autarca, o Albergue de Peregrinos é importante para a localidade que está integrada no projeto das Aldeias de Montanha, por permitir acolher os caminheiros no percurso entre a vila de Belmonte e a cidade da Guarda.

O último albergue está localizado em Belmonte e, uma vez que os peregrinos entram [no concelho da Guarda] pela zona de Valhelhas, entre Belmonte e a Guarda, o albergue dos Trinta é o único que existe no percurso”, disse.

A existência da unidade de alojamento na aldeia de Trinta “é uma forma de os visitantes terem um ponto de descanso e de ficarem algum tempo para conhecerem a zona”, acrescentou.

O Albergue de Peregrinos foi inaugurado no sábado por Carlos Chaves Monteiro, presidente da Câmara Municipal da Guarda, e pelo vice-presidente Vítor Amaral.

A obra da União de Freguesias de Corujeira e Trinta teve um apoio de dez mil euros do município da Guarda.

Em finais de 2016, a Câmara Municipal da Guarda sinalizou no concelho 41 quilómetros do Caminho de Santiago – Via da Estrela, que abrange o território de dez freguesias.

O lanço do Caminho de Santiago que atravessa o concelho da Guarda constitui um dos mais belos troços utilizados pelos peregrinos que se deslocam pelas Beiras a Santiago de Compostela, como forma de veneração ao apóstolo São Tiago Maior”, segundo o roteiro disponibilizado, na altura, pela Câmara Municipal e pelo Museu da Guarda.

O itinerário que está identificado e sinalizado na totalidade do seu percurso inclui as Freguesias de Gonçalo, Valhelhas, Famalicão da Serra, Fernão Joanes, Meios, União de Freguesias de Corujeira e Trinta, Maçainhas, Guarda, Faia e Aldeia Viçosa.

O Albergue de Peregrinos da aldeia de Trinta ocupa um dos três pisos do Centro de Recursos Partilhados – Casa Tavares, que também vai funcionar como centro de serviços e de projetos de negócio.

Segundo o autarca Carlos Fonseca, no imóvel já estão instalados uma cabeleireira, um fisioterapeuta, uma empresa da área da consultadoria, solicitadoria e advocacia e outra de fiscalização da obra de construção dos Passadiços do Mondego.

O espaço empresarial, que deverá ser inaugurado até ao final do ano, também deverá acolher uma mulher holandesa (projeto na área do ensino), um belga (turismo e sustentabilidade) e um artesão local (produção de mantas e tapetes em tear manual).