A circulação rodoviária está cortada na localidade de Monsanto, concelho de Alcanena, a partir desta segunda-feira e até quarta-feira, devido às obras de requalificação da Estrada Regional 361 (ER361), um investimento na ordem dos 3,2 ME.

Segundo um comunicado divulgado esta segunda-feira pela Infraestruturas de Portugal (IP), “será necessário efetuar um desvio de trânsito para a execução dos trabalhos previstos” no âmbito do desenvolvimento da empreitada de requalificação da ER 361, entre Amiais de Cima e Alcanena, no distrito de Santarém.

Durante este período, só será permitida a circulação na estrada na localidade de Monsanto a moradores, veículos de emergência, veículos de transportes públicos, camarários e veículos de recolha de lixo.

Como alternativa ao impedimento da travessia da localidade de Monsanto pela ER361, a IP sugere que “o trânsito proveniente da localidade de Amiais de Cima, ao quilómetro 59,275 da ER361, deverá seguir em direção a Amiais de Baixo e através da estrada Municipal CM 1442 seguir em direção a Alcanena”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Além disso, “o trânsito proveniente da localidade de Alcanena, na rotunda ao quilómetro 68,9 da ER361, na localidade de São Pedro, deverá seguir em direção a Pernes e depois pela Estrada Municipal CM 1442 seguir em direção a Amiais de Baixo, em direção à ER361”.

O investimento na requalificação desta estrada é de 3,2 milhões de euros e tem um prazo de execução de 330 dias.

A empreitada prevê a intervenção em cerca de sete quilómetros e tem como objetivo “a melhoria dos níveis de mobilidade e segurança da ER361, que se constitui como um dos principais eixos rodoviários de ligação entre Alcanena e Rio Maior”.

Reivindicada durante muitos anos pelos autarcas locais, a obra avançou depois de uma resolução do Conselho de Ministros, em março de 2019, que suspendeu parcialmente o Plano de Ordenamento do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, permitindo a reabilitação da ER 361.

A empreitada de requalificação do troço da ER361, com cerca de sete quilómetros, entre Amiais de Cima e Alcanena, foi consignada em 25 de setembro de 2019.

Segundo a IP, “para o bom desenvolvimento dos trabalhos previstos era imprescindível proceder ao abate de sobreiros existentes na zona confinante com a via”, nos troços entre os quilómetros 61,890 e 63,192 e entre os quilómetros 65,514 e 67,350, tendo a licença para o abate, “solicitada ainda antes da data de consignação da obra”, sido “autorizada a 30 de abril” deste ano.

Na restante zona de intervenção no âmbito da empreitada, “os trabalhos nunca estiveram parados”, pode ler-se na mesma nota.

De acordo com a IP, estas obras vão resultar na “retificação de traçado em dois lanços localizados antes e depois da localidade de Monsanto, na beneficiação geral do restante troço, através da execução de intervenções relevantes ao nível do pavimento, na reformulação de interseções, na readequação e substituição do sistema de sinalização e equipamentos de segurança existentes e na reabilitação ou substituição do sistema de drenagem”.