Os cães-robô da Boston Dynamics, uma empresa norte-americana que recebeu financiamento do governo dos EUA e que tem sido pioneira no desenvolvimento de robôs, já eram conhecidos pelos truques avançados que conseguem fazer — e pela ameaça em que, muitos temem, se possam vir a transformar. Agora, a Ford deu “emprego” a um destes cães: Fluffy, um cão-robô do já famoso modelo Spot, está a ajudar a Ford a otimizar o espaço numa das suas fábricas, no estado norte-americano do Michigan.

Trata-se de um projeto-piloto para pôr à prova a capacidade do robô — mas a fabricante de automóveis espera que represente também uma poupança significativa em termos financeiros. O objetivo é que o cão-robô percorra os vários quilómetros do interior da fábrica de automóveis, fotografe tudo com as suas várias câmaras e construa uma imagem virtual das instalações para que o espaço e o fluxo de produção possam ser otimizados.

O cão consegue andar a uma velocidade de perto de cinco quilómetros por hora, acompanhado por um engenheiro que o conduz através de um controlo remoto. Depois, os engenheiros vão utilizar a imagem virtual da fábrica para desenhar os novos equipamentos e espaços a pensar nos locais onde vão ser utilizados e instalados. “Conseguimos construir essas peças dentro da área de trabalho e ver se há alguma interferência, ou se tudo o que queremos de novo vai caber“, disse à Reuters o responsável pelo projeto na Ford, Mark Goderis.

Fluffy vai acompanhar um outro robô, chamado Scouter, e obter informação nos locais onde esse segundo robô não consegue entrar. De acordo com os responsáveis da Ford, o processo com recurso aos robôs custa apenas uma pequena porção dos 300 mil dólares que seriam gastos com um processo normal, em que uma equipa de engenheiros percorreria a pé toda a fábrica, utilizando câmaras tradicionais em tripés. A Ford garante que os robôs não pretendem tirar o emprego a ninguém — apenas ajudar numa tarefa que seria muito difícil, morosa e cara de fazer com recursos tradicionais.

Ainda de acordo com a Reuters, embora nem a Boston Dynamics nem a Ford tenham revelado os valores relativos ao contrato, o modelo “Spot” tem um custo de 74,5 mil dólares (cerca de 63,5 mil euros).