As câmaras de Lisboa, Oeiras e Loures anunciaram esta quarta-feira que vão votar a favor de um protocolo para a construção de um metro ligeiro de superfície entre Alcântara e Cruz Quebrada e entre Santa Apolónia e Sacavém. O investimento estimado, que inclui a infraestrutura, um parque de material e oficinas e material circulante, é de 490 milhões de euros.

Em comunicado, os municípios informam que vão dar luz verde a um protocolo de cooperação, que é votado esta semana, com o Metropolitano de Lisboa e a Carris para “o estudo, o planeamento e a forma de concretização do projeto ‘LIOS, Linha Intermodal Sustentável’ nas suas várias vertentes técnicas, ambiental, financeiras e operacionais até ao momento de lançamento da empreitada da Linha”.

A nova linha, que terá uma extensão de 24,4 quilómetros, vai estar ligada com as linhas ribeirinhas, de elétrico e de comboio da Linha de Cascais e Linha do Norte, bem como com a expansão da linha vermelha do Metropolitano de Lisboa em Alcântara. O objetivo é “melhorar a conectividade dos seus territórios e implementar novos corredores de transporte coletivo”.

A linha está a ser “articulada com o Governo no âmbito de um conjunto mais vasto de investimentos em infraestruturas de transporte na Área Metropolitana de Lisboa”.

“Os municípios entendem ainda que deve ser explorada a viabilidade de implementar, sempre que possível, corredores dedicados a modos ativos, pedonal e em bicicleta, paralelos aos corredores de transporte público estruturante que vierem a ser implementados”, lê-se no comunicado conjunto.