O músico e compositor Sérgio Godinho vai atuar a 31 de agosto, no Teatro Maria Matos, em Lisboa, e o concerto servirá para festejar os seus 75 anos, foi anunciado esta quarta-feira.

“Queria uma grande festa este ano, até que um bicho [covid-19] se intrometeu e nos virou as máscaras. A máscara é agora de verdade”, afirma Sérgio Godinho em comunicado divulgado pela promotora do espetáculo, Vachier.

Assim, o aniversário será celebrado com um concerto acompanhado dos Assessores, os músicos que habitualmente tocam com Sérgio Godinho, com Nuno Rafael, Miguel Fevereiro, João Cardoso, Nuno Espírito Santo e Sérgio Nascimento.

O cantautor volta ao Teatro Maria Matos onde, em 2007, fez uma temporada de cinco concertos para apresentar, na altura, o álbum “Ligação Directa”. Os espetáculos resultaram, depois, na edição do álbum ao vivo “Nove e meia no Maria Matos”, lançado em 2008.

Sérgio Godinho nasceu no Porto, em 1945, e é considerado um dos renovadores da música portuguesa nos últimos 50 anos.

Estudou Psicologia em Genebra, durante dois anos, foi ator de teatro e começou a exercitar a escrita de canções nos finais dos anos 1960, sendo de 1971 o seu primeiro álbum, “Os Sobreviventes”, a que se seguiram mais 30 editados.

“Nação Valente”, o mais recente, saiu em 2018.

Apesar de ser conhecido sobretudo pela música, Sérgio Godinho tem canalizado a escrita criativa por outros géneros, como teatro, argumento para cinema, ficção para crianças, poesia e contos, em títulos como “O Pequeno Livro dos Medos”, “O Sangue por Um Fio” e “Vida Dupla”.

Em 2016 editou “Coração mais que perfeito”, o primeiro romance, ao qual se seguiu “Estocolmo”, em 2019.