Os Jogos Olímpicos Tóquio2020, adiados para 2021 devido à pandemia de Covid-19, poderão ter um número limitado de espetadores, admitiu esta quinta-feira o diretor do comité organizador, Toshiro Muto, em declarações à BBC.

Muto afirmou que o Comité Olímpico Internacional (COI) não quer que o evento, que deverá decorrer entre 23 de julho e 08 de agosto de 2021, decorra à porta fechada, mas admite que “é preciso refletir sobre o número de espetadores e o cumprimento do distanciamento social, de forma a evitar a propagação da Covid-19”.

“Temos de criar um ambiente seguro para o público. Os atletas e a ‘família’ do COI poderão ser submetidos a testes à chegada ao Japão”, afirmou Toshiro Muto. O diretor do comité organizador considerou que é “demasiado otimista acreditar que as restrições atualmente em vigor no Japão serão todas levantadas até ao próximo ano”, e afirmou que “é preciso refletir e estudar opções”.

Muto admitiu que a eventual descoberta de uma vacina “será uma vantagem”, mas não “um pré-requisito” para a realização dos Jogos.

Devido à pandemia de Covid-19, que já causou mais de 666 mil mortos em todo o mundo, os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio2020 foram adiados para o verão de 2021.