A Torre e Igreja dos Clérigos, conjunto arquitetónico no Porto classificado como monumento nacional, registou 23% de visitas de turistas portugueses nos últimos dois meses, um aumento de quase 100% face ao período homólogo de 2019, disse fonte oficial.

No ano passado tivemos cerca de 12% de visitantes portugueses [em junho e julho], e este ano o mercado português quase dobrou e tem um peso de 23% nos meses de junho e julho”, avançou esta quinta-feira à Lusa o diretor executivo da Torre dos Clérigos, António Tavares, recordando que o conjunto arquitetónico retomou as visitas há dois meses, após ter interrompido a atividade turística no dia 13 de março transato.

O ex libris da cidade do Porto acolheu cerca de 45 mil visitantes nos dois meses de retoma em contexto de pandemia de Covid-19, ou seja, ficou a “15% do volume médio de visitantes” face ao mesmo período de 2019, referiu a mesma fonte.

No mês de junho, 90% dos visitantes foram portugueses, maioritariamente famílias.

No mês de julho, com a abertura das fronteiras à vizinha Espanha verificou-se que o mercado espanhol começou a liderar o ‘ranking’ das nacionalidades estrangeiras dos visitantes aos Clérigos (30%), seguido dos portugueses (23%), franceses (20%), alemães (10%), italianos (3%), brasileiros, ingleses e holandeses (2%) e belgas (1%).

O selo ‘Clean and Safe’, promovido pelo Turismo de Portugal, bem como o ‘Safe Travels’, promovido pelo World Travel & Tourism, são “sinónimos das excelentes adaptações realizadas e que dão confiança para que todos nos possam visitar”, refere o presidente da Irmandade dos Clérigos, Manuel Soares da Silva, num comunicado de imprensa divulgado esta quinta-feira.

A partir da próxima sexta-feira, dia 31 de julho, a Torre dos Clérigos vai regressar com o programa de animação noturna “Clérigos by Night” e que permite estar no monumento até às 21h00, com visitas de 30 minutos para grupos de 30 pessoas por horário disponível.