As termas, ‘spas’ e piscinas cobertas no Açores podem reabrir a partir de sábado, anunciou esta sexta-feira o Governo Regional, que prorrogou a situação de calamidade em cinco ilhas e de alerta em quatro, devido à pandemia da Covid-19.

O Governo dos Açores prorrogou esta sexta-feira a situação de calamidade pública em Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico e Faial e a situação de alerta na Graciosa, São Jorge, Flores e Corvo, no âmbito da pandemia da Covid-19, segundo despachos publicados no Jornal Oficial da região.

Entre as alterações nas medidas de combate à pandemia da Covid-19 previstas nos novos despachos está a permissão da abertura de termas e spas e a realização de atividades em piscinas cobertas a partir de 1 de agosto.

Por outro lado, no caso de pessoas que à chegada aos Açores testem positivo ao novo coronavírus e que estejam hospedadas em hotéis, o executivo açoriano passará a assumir os encargos do alojamento, uma vez que terão de cumprir quarentena obrigatória.

A medida abrange também o isolamento profilático determinado pela Autoridade de Saúde e, segundo afirmou o secretário regional dos Assuntos Parlamentares, Berto Messias, em conferência de imprensa, irá permitir “monitorizar melhor” os infetados e os respetivos contactos próximos.

O secretário regional, que falava esta sexta-feira na Horta, exemplificou com os casos de passageiros que podem ver as suas “estadias de três, quatro, cinco dias” na região serem “prolongadas para 14 dias”, devido à imposição de quarentena ou isolamento profilático.

O Governo dos Açores irá assumir também os custos da hospedagem dos residentes na região que sejam obrigados a cumprir quarentena no continente ou na Madeira.

A partir de 1 de agosto terminará também a suspensão dos eventos públicos promovidos pelo Governo Regional, que passam a poder decorrer mediante condições estabelecidas pela Autoridade de Saúde Regional.

Com aquilo que é agora decidido, nós não estamos a regressar à normalidade antes da pandemia. Estamos sim a cessar a suspensão dos eventos públicos, que decorrerão ou não conforme os termos e as regras que forem definidas pela Autoridade de Saúde”, afirmou Berto Messias.

As situações de calamidade pública e de alerta agora anunciadas irão estar em vigor até às 00h00 do dia 15 de agosto.

Nós não hesitaremos um segundo que seja em alterar estas medidas caso a evolução da pandemia assim o obrigue”, ressalvou Berto Messias.

Sobre a possibilidade de existir um corredor aéreo entre as duas regiões autónomas portuguesas, o secretário regional referiu não existir uma posição por parte dos Açores.

Confesso que ainda não tenho nada a referir sobre isso. Estará certamente a ser analisado”, assinalou, questionado pela possibilidade que foi sugerida pelo Governo da Madeira.

Desde o início do surto foram detetados nos Açores 174 casos de infeção pelo novo coronavírus, dos quais 18 se mantêm ativos (17 em São Miguel e um na Terceira), tendo-se registado 16 mortes.