A 20 de abril, o governo britânico anunciou a criação de um fundo no valor de 250 milhões de libras (cerca de 277 milhões de euros), o Future Fund, para apoiar empresas britânicas inovadoras “com bom potencial” que estão a ser afetadas pela pandemia do novo coronavírus. Entre as startups que já asseguraram o apoio do Estado ao abrigo do Future Fund conta-se a Killing Kities, uma empresa que organiza festas exclusivas para adultos.

Foi a própria startup que revelou, nesta quarta-feira, ter assegurado um investimento de 170 mill libras (188 mil euros). “Nunca imaginei Boris [Johnson] como um bom parceiro de cama”, afirmou na altura a CEO e fundadora, Emma Sayle, afirmando que a Killing Kitties é “uma das redes sociais para adultos que mais rapidamente tem crescido” nos últimos anos. A empresa diz estar avaliada em 11,5 milhões de libras (12,8 milhões de euros).

A Killing Kitties foi fundada em 2005 pela CEO, para “responder a uma procura da parte de jovens solteiras e independentes e casais que precisavam de algo mais”. De acordo com a informação disponível no site da empresa, esta organiza festas “exclusivas”, “decadentes” e “hedonistas”, controladas por mulheres e “focadas na busca do prazer feminino”.

A Killing Kitties tem neste momento uma comunidade de 180 mil membros, em 12 países. Durante o período de confinamento, sofreu um aumento de 330% no tráfego do seu site, depois da empresa ter sido obrigada a organizar todos os eventos e workshops online, refere a CNN.

A startup de Emma Sayle é um dos mais de 800 negócios britânicos que já asseguraram o apoio governamental no combate à crise provocada pela pandemia. Segundo a CNN, desde maio, foram aprovadas 513 mil libras (580 mil euros) em empréstimos.