Foram detidas três pessoas, entre elas um jovem de 17 anos, por suspeitas de terem estado por trás do ataque a várias contas de Twitter de empresas e personalidades conhecidas dos EUA.

O jovem de 17 anos foi identificado como Graham Ivan Clark, residente em Tampa, na Flórida. Além dele, foram também detidos Nima Fazeli (22 anos, de Orlando, na Flórida) e Mason Shappard (19 anos, do Reino Unido). Foram acusados de crimes diretamente relacionados com o ataque a várias contas de Twitter, entre os quais estão fraude eletrónica, tentativa intencional de entrar num computador protegido e ainda conspiração para cometer lavagem de dinheiro.

Entre os alvos daquele ataque, que aconteceu a 15 de julho, estiveram empresas como a Apple e personalidades dos mais variados domínios: o ex-Presidente dos EUA Barack Obama; o ex-vice-Presidente e candidato democrata às presidenciais dos EUA, Joe Biden; o empresário e fundador da Tesla, Elon Musk; o filantropo e fundador da Microsoft, Bill Gates; o rapper Kanye West; etc.

“Os hackers alegadamente intervieram em mais de 100 contas de redes sociais e enganaram tanto os utilizadores dessas contas e outros que enviaram dinheiro após terem recebido solicitações fraudulentas”, detalhou o Brian C. Rabbit, do Departamento de Justiça dos EUA.

“Os comportamentos ilegais na Internet podem parecer discretos para as pessoas que os cometem, mas não há nada de discreto neles. Quero dizer especificamente para aqueles que se preparam para cometer estes crimes que, se quebrarem a lei, nós vamos encontrar-vos”, disse ainda David L. Anderson, o procurador-geral do Distrito Norte da Califórnia, onde o Twitter tem sede.

O Twitter reagiu à notícia em sede própria. “Aplaudimos a ação célere das autoridades nesta investigação e vamos continuar a cooperar à medida que o caso for avançando. Da nossa parte, estamos concentrados em sermos transparentes e em fazermos atualizações de forma regular”, escreveu a equipa de comunicação do Twitter num post naquela rede social.