O Bloco de Esquerda (BE) dos Açores acusou este sábado o presidente do executivo regional, o socialista Vasco Cordeiro, de “tentar lavar as mãos das suas responsabilidades” e “atirar com lições de moral ao povo” a propósito do processo de desconfinamento da pandemia na região.

“O BE repudia as declarações do Presidente do Governo Regional, Vasco Cordeiro, na passada sexta-feira, em que aponta o dedo às pessoas em geral enquanto responsáveis por um eventual aumento do número de casos de covid-19 na região”, diz o partido, liderado nos Açores por António Lima, em nota à imprensa.

Na sexta-feira, na ilha do Faial, Vasco Cordeiro havia referido que a região não está livre de uma “situação complicada” em relação à covid-19, numa altura em que o arquipélago está a abandonar uma “abordagem mais proibitiva” da pandemia.

Vasco Cordeiro frisou que a “primeira linha de defesa” da região no combate à covid-19 “não reside” no Serviço Regional de Saúde (SRS), porque este só “entra em ação” quando a população não é capaz de “cumprir as regras básicas” de prevenção da infeção com o vírus da covid-19.

“O comportamento individual não reside nos enfermeiros, não reside nos médicos, não reside no SRS. Esses entram em ação por descuido, por desinteresse, por irresponsabilidade, em alguns casos”, apontou o governante socialista.

Nestas declarações, advoga o BE, “Vasco Cordeiro tenta lavar as mãos das suas responsabilidades enquanto governante e, ao jeito de um mestre-escola, atira com lições de moral ao povo”.

E concretizam os bloquistas: “Governo Regional não se pode demitir de investir no SRS, dotando-o de capacidade da resposta não apenas à covid-19 mas a todas as suas responsabilidades que não podem ficar para trás. Em vez das reprimendas ao povo, o Governo deveria era preocupar-se em responder às reivindicações dos enfermeiros e dos técnicos superiores de diagnóstico e terapêutica que mais uma vez foram enganados por uma simulação de negociação que nada resolveu, no mesmo dia em que as declarações”.

A região possui um total de 174 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, verificando-se atualmente 16 casos positivos ativos, sendo 15 na ilha de São Miguel e um na ilha Terceira.