A Microsoft assumiu este domingo que está em negociações com a empresa chinesa de tecnologia, a ByteDance,  para comprar a aplicação de vídeos TikTok, isto após o seu diretor executivo ter falado com o presidente norte-americano Donald Trump, noticia o Washington Post.

Depois de um fim de semana em que foram levantadas dúvidas sobre o futuro da aplicação chinesa, e em que a Microsoft suspendeu as negociações aparentemente por causa da posição de Trump, a empresa anunciou que, após a conversa do seu diretor diretor Satya Nadella com Trump, se compromete a ter em conta as preocupações do presidente em relação aquela rede social.

“A Microsoft aprecia completamente a importância de abordar as preocupações do Presidente. Ele está comprometido em adquirir o TikTok, sujeito a uma revisão completa da segurança e a fornecer benefícios económicos adequados aos Estados Unidos, incluindo o Tesouro dos Estados Unidos”, lê-se na publicação do blogue da Microsoft.

É a primeira vez que a Microsoft confirma que a empresa está a negociar a a compra da TikTok nos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Essa nova estrutura basear-se-á na experiência que os utilizadores do TikTok atualmente mais gostam, além de adicionar proteções de segurança, privacidade e segurança digital de classe mundial”, disse a Microsoft numa publicação.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, já tinha sugerido que o Washington estava a pensar restringir o acesso à TikTok em território norte-americano, suspeitando que Pequim estivesse a usar a rede social como um meio de monitorização e distribuição de propaganda. E, na sexta-feira, Trump, anunciou mesmo que iria banir a rede social chinesa TikTok no país, por razões de segurança nacional.

Nesse dia, a TikTok, com sede em Nova Iorque, fez um vídeo para a sua página do Twitter em que a diretora-geral para os Estados Unidos, Vanessa Pappas, agradece aos milhões de norte-americanos que utilizam esta aplicação (‘app’) diariamente e afirma que não planeiam ir a “lado nenhum”.

Microsoft suspende negociações para comprar o TikTok depois de Trump prometer banir a aplicação dos EUA