O político irlandês John Hume, agraciado com o Prémio Nobel da Paz em 1998 pelos seus esforços na resolução do conflito na Irlanda do Norte e na realização do Acordo de Belfast, morreu esta segunda-feira aos 83 anos de idade, anunciou a sua família num comunicado citado pelos jornais irlandeses.

Hume morreu “nas primeiras horas da manhã após uma breve doença“, afirmou a família em comunicado. O irlandês sofria de demência e vivia até agora numa residência sénior em Derry.

John Hume liderou o Partido Social Democrata e Trabalhista da Irlanda entre 1979 e 2001, tendo conduzido o partido durante as negociações que viriam a pôr um fim formal aos “Troubles“.

Hume foi agraciado, juntamente com o protestante unionista David Trimble, com Prémio Nobel da Paz em 1998, ano em que foram assinados os Acordos da Sexta-Feira Santa, que puseram fim a trinta anos de violência sectária entre os paramilitares da Irlanda do Norte e os republicanos do já desativado Exército Republicano Irlandês (IRA, na sigla em inglês).

Líder católico, moderado, do PSDT, Hume é apontado como o principal “artífice” das negociações e do acordo de paz.

“Todos nós vivemos na Irlanda que ele imaginou, em paz e liberdade para decidirmos o nosso próprio destino”, refere uma nota do Partido Social Democrata e Trabalhista difundida logo após a notícia da morte de John Hume.