O grupo parlamentar do BE dirigiu esta terça-feira perguntas ao Ministério das Infraestruturas e Habitação sobre segurança ferroviária, tendo em conta o grave acidente verificado sexta-feira em Soure com um alfa pendular e um veículo de manutenção.

O comboio bateu contra um veículo de conservação de catenária (VCC), provocando dois mortos, sete feridos graves e 36 feridos ligeiros e as causas do acidente ainda estão por apurar, embora tudo indique tratar-se de falha do VCC face à ordem de paragem dada pela sinalização luminosa.

Alfa/Acidente: Veículo de Conservação de Catenária passou sinal vermelho — investigação

No requerimento enviado ao ministro Pedro Nuno Santos, os bloquistas recordam uma investigação do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários (GPIAAF) a um acidente ocorrido em 2016 na estação de Roma-Areeiro (Lisboa). Na altura, o relatório final recomendou formação dos maquinistas de veículos de serviço e a necessidade daquele material circulante ser dotado de “convel”, um controlador de velocidade que faz parar a composição em caso de falha humana.

Tem o governo conhecimento do relatório do GPIAAF?”, “se sim, quais os motivos que fundamentam a não consideração das recomendações presentes no mesmo relatório?”, questiona o BE.

Os bloquistas perguntam se “está o Governo disponível para investir, junto com a Infraestruturas de Portugal, na dotação do ‘convel’ em todos os veículos de serviço e no reforço da formação dos condutores destes veículos” e “qual o plano de segurança e prevenção ferroviária atual”. Por outro lado, querem saber que medidas de reforço visa o Governo implementar.