Mais de metade das pessoas que receberam tratamento hospitalar devido ao coronavírus foram diagnosticadas com pelo menos um distúrbio psiquiátrico, de acordo com um estudo publicado no jornal Brain, Behavior, and Immunity.

O estudo, realizado no hospital ialiano San Raffaele, em Milão, analisou 402 pessoas (265 homens e 137 mulheres) um mês após terem recebido tratamento para a Covid-19. Os resultados, baseados em entrevistas e questionários de auto-avaliação, sugerem que 56% da amostra sofrem de algum distúrbio psíquico, sendo que 42% sofre de ansiedade, 40% de insónias, 31% de depressão, 28% de stress pós-traumático e 20% de transtorno obsessivo compulsivo.

O sexo feminino, apesar de ter tido sintomas mais ligeiros de infeção, sofre mais de ansiedade e depressão. As pessoas que já sofriam de algum problema psicológico, viram a sua condição piorar. O estudo revelou ainda que os doentes que não tiveram que ser hospitalizados ficaram mais expostos à ansiedade e a perturbações do sono.

Os efeitos psiquiátricos podem ser causados “pela resposta do sistema imunitário ao vírus” e pelo stress psicológico associado ao estigma, fatalidade do vírus, isolamento social e preocupação em infetar outras pessoas.

Considerando o pior impacto da Covid-19 em doentes hospitalizados, esta observação sugere que menos apoio nos cuidados de saúde podem ter aumentado a isolação social e a solidão típica da pandemia de Covid-19″, lê-se no estudo.

Estas descobertas vêm reforçar outros estudos que indicam que a Covid-19 provoca complicações neurológicas.

Estudo admite que 57,4% dos doentes desenvolveram algum sintoma neurológico