Em 1971 foi o indesejado e inexperiente companheiro de Clint Eastwood no clássico Dirty Harry e em 1986 deu vida ao parceiro de Sylvester Stallone no flop Cobra, mas é a Seinfeld que o nome de Reni Santoni ficará para sempre associado. Isto apesar de só ter participado em três episódios da série de comédia mais famosa dos anos 90 (ou de todos os tempos) e de ser mencionado num outro.

O ator tinha 81 anos quando na manhã do passado sábado, dia 1 de agosto, morreu na clínica de Los Angeles onde estava internado há já algum tempo, com vários problemas de saúde, entre os quais um cancro, anunciou através do Facebook a amiga, argumentista e produtora televisiva Tracy Newman.

Americano, de origem francesa e espanhola, Reni Santoni deu vida a Poppie, imigrante italiano, dono de restaurante e pai de uma namorada de Jerry Seinfeld, pela primeira vez em fevereiro de 1994. A cena em que sai do cubículo da casa de banho do Poppie’s e fica à conversa com o protagonista da série, sem nunca fazer tenções de lavar as mãos — no fim da conversa acaba por fechar a braguilha e sair, para horror de Seinfeld —, é uma das mais célebres da série. Como são as dos momentos seguintes, em que Poppie começa por moldar à mão a massa de pizza que minutos depois vai servir orgulhosamente à filha e ao potencial genro — e que Jerry Seinfeld se recusa terminantemente a comer.

Depois do episódio “The Pie”, da quinta temporada da série, Reni Santoni voltou a encarnar a personagem duas vezes na season seguinte — e a “marca” que deixou no sofá acabado de comprar por Jerry Seinfeld também se tornou célebre entre os fãs da série. “Espero que ele esteja a fazer pizza no céu”, escreveu um deles esta terça-feira no Twitter, a dar conta da morte do ator.