Imagine-se na fila para abastecer de gasolina, quando repara que o veículo que está à sua frente é eléctrico, o que significa, sem margem para dúvidas, que está na fila errada. É certo que os carros eléctricos a bateria necessitam de mais tempo para recarregar, mas o que não é expectável é um condutor usar um eléctrico para usufruir das vantagens que ele assegura e, depois, achar que pode abastecê-lo na bomba em poucos minutos, como se tratasse de um modelo com motor a gasolina ou a gasóleo. Não é expectável, mas acontece.

Um grupo aguardava num veículo com motor de combustão pela sua vez para atestar na bomba e reparou que, à sua frente, estava um cliente obviamente no local errado. O condutor em causa conduzia um Tesla Model 3 e preparava-se para atestar numa bomba para combustíveis derivados de petróleo. Para memória e risota futura, registaram o episódio em vídeo.

O veículo exibia matrículas temporárias, o que significa que deverá pertencer ao condutor “distraído” ou, então, este estaria a prestar um serviço a alguém. Certo é que tentou primeiro encontrar uma forma de fazer deslizar a gasolina pela cablagem eléctrica. Sem sucesso.

De seguida, o homem procurou um outro bocal de enchimento, não fosse o veículo ser híbrido. Por fim, num momento de clarividência, decidiu telefonar a alguém que percebesse do assunto, que lhe deverá ter assegurado que estava no posto de abastecimento errado.

Este não é o primeiro registo sobre este tipo de enganos e, muito provavelmente, não será o último.