Jeffrey Epstein “foi morto ou cometeu suicídio na prisão”, duas hipóteses que Donald Trump admitiu por três vezes, no espaço de poucos segundos, numa entrevista a um programa da HBO. O Presidente norte-americano sublinhou que, no que diz respeito ao homem que terá montado uma rede de tráfico sexual com menores de idade e que morreu na prisão, “as pessoas ainda estão a tentar perceber o que é que aconteceu: Foi suicídio? Foi assassinado?”.

Esse momento da entrevista surgiu quando o jornalista perguntou a Trump sobre o que o Presidente dos EUA tinha dito sobre Ghislaine Maxwell, quando questionado anteriormente por um jornalista numa conferência de imprensa. Trump respondeu, nessa outra ocasião, que lhe desejava “tudo de bom” – a uma mulher que está presa em Nova Iorque e enfrenta uma pena de 35 anos pelos crimes de que é acusada.

Trump comentara que conhecia Ghislaine Maxwell dos tempos em que vivia em Palm Beach, e que “francamente”, não desejava nada de mal à mulher acusada de tráfico sexual envolvendo menores. Nesta entrevista à HBO, explicou que apenas queria dizer que “o seu namorado [Epstein] morreu na prisão e ela agora também está na prisão. Sim, desejo-lhe tudo de bom, desejo-lhe tudo de bom a si [dirigindo-se ao jornalista], desejo tudo de bom a muita gente”.

“Boa sorte! Deixemos que eles provem que alguém é culpado”, atirou Trump, que partilhou com Epstein e Maxwell os mesmos círculos sociais em Nova Iorque e na Flórida. Existem numerosas fotografias de Trump ao lado do casal, embora não exista qualquer evidência de que o Presidente norte-americano tenha alguma vez tido envolvimento na rede de tráfico sexual. Trump referiu-se, porém, a dada altura, a Epstein como um “tipo excelente” que tinha um “gosto por senhoras mais novas”.

O procurador-geral Bill Barr garantiu que não será dada a Ghislaine Maxwell a oportunidade de se suicidar na prisão, como se acredita que Epstein terá feito, mas Trump sublinha: “o namorado dela morreu na prisão. Foi suicídio? Foi assassínio? Desejo-lhe tudo de bom, não lhe desejo nada de mal”, comentou.

O trecho da entrevista começa pelo 25m40s desta ligação.