Seis golos, quatro assistências. Na edição da Liga Europa que vai terminar mais de um ano depois de ter começado, ninguém esteve envolvido em mais golos do que Bruno Fernandes. Entre Sporting, até ao final de janeiro, e Manchester United, em fevereiro e março, o médio português foi o jogador mais influente da prova e uma das principais razões pelas quais os red devils são atualmente um dos candidatos à vitória final. Esta quarta-feira, Bruno Fernandes reencontrava-se com a Liga Europa — mas apenas a partir do banco de suplentes.

Cinco meses depois do último dia europeu, a 12 de março, o Manchester United recebia o LASK em Old Trafford numa posição mais do que confortável. Há cinco meses, na Áustria, Bruno Fernandes e companhia golearam por 0-5 e cavaram uma vantagem que os colocava, logo à partida, com pé e meio na final eight da Liga Europa. E por isso mesmo, e porque os próximos jogos terão um nível de dificuldade teoricamente superior e poucos dias de intervalo, Solskjaer optava por fazer descansar grande parte dos titulares. De Gea, Wan-Bissaka, Lindelof, Luke Shaw, Matic, Pogba, Bruno Fernandes, Greenwood, Rashford e Martial estavam todos no banco, enquanto que Sergio Romero, Fosu-Mensah, Bailly, Brandon Williams, McTominay, Fred, Juan Mata, Daniel James, Lingard e Ighalo começavam de início.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.