A União Europeia (UE) reconheceu o plano de contingência da empresa portuguesa Portucel pelo seu plano de contingência contra a Covid-19 em Moçambique, anunciou esta quarta-feira a companhia em comunicado.

A nota diz que a UE distinguiu a eficácia da abordagem adotada pela Portucel na prevenção do novo coronavírus junto dos trabalhadores, suas famílias e comunidades residentes na área de implementação do projeto da companhia nas províncias de Manica e Zambézia, centro de Moçambique.

As medidas específicas adotadas incluem o contato “porta a porta” em detrimento das reuniões com toda a comunidade, manutenção do Programa de Desenvolvimento Social em paralelo com os cuidados de proteção, fornecimento de “sprays” desinfetantes para as ferramentas usadas pelos trabalhadores no campo, distribuição de gel desinfetante e de material e equipamento às autoridades distritais na área de influência do projeto.

As prioridades deste plano visam proteger os funcionários e as suas famílias, salvaguardar a continuidade operacional e os empregos, prestando, ao mesmo tempo, apoio contínuo às comunidades cuja necessidade se tornou ainda mais importante num contexto de agravamento das condições socioeconómicas causadas pela pandemia”, refere o comunicado.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O plano de contingência que a Portucel está a seguir em Moçambique está em linha com as diretrizes definidas pela The Navigator Company, entidade detentora da Portucel, e pelas autoridades moçambicanas e está adaptado às necessidades específicas do projeto no país africano.

Em Moçambique, a Portucel está a desenvolver um projeto florestal com um investimento de longo prazo avaliado em 2,5 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros), destaca o comunicado.

O empreendimento prevê exportações anuais estimadas, na primeira fase, de 100 milhões de dólares (84,4 milhões de euros) e, na segunda fase, de mil milhões de dólares (844 milhões de euros).

Na primeira fase, serão gerados mais de 2.000 empregos e, na segunda fase, mais de 8.000 postos de trabalho.

Moçambique regista um total de 2.029 casos positivos de Covid-19, 15 mortos e 765 pessoas dadas como recuperadas, segundo as últimas atualizações.