O município da Mealhada anunciou a sua disponibilidade para participar na reconstrução da sede da Escola de Samba Sócios da Mangueira, destruída este domingo por um incêndio.

“Estamos todos tristes e sem palavras. É uma perda de valor incalculável. Um rude golpe na história de uma escola de samba de grande valor nacional. Temos de nos unir, trabalhar, arregaçar as mangas e dar o nosso melhor para reerguer o que as chamas destruíram”, disse à agência Lusa o presidente da Câmara Municipal, Rui Marqueiro.

Um incêndio eclodiu durante a noite, pouco antes das 04:00, nas instalações da Escola de Samba Sócios da Mangueira, no distrito de Aveiro, não tendo provocado vítimas.

O autarca do PS, que ao início da manhã visitou as instalações ardidas, manifestou “toda a disponibilidade da Câmara para ajudar a reabilitar das cinzas” o edifício que acolhe a associação, fundada em 1978.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“A Câmara Municipal da Mealhada lamenta profundamente o incêndio desta madrugada, que não só destruiu o edifício-sede da Escola de Samba Sócios da Mangueira — os antigos lavadouros públicos da Póvoa da Mealhada –, como todo o seu recheio, nomeadamente os imponentes, majestosos e históricos fatos de Carnaval”, declarou.

Na segunda-feira, de manhã, a direção da coletividade vai reunir-se nos Paços do Concelho com o presidente do executivo, a pedido deste, “para analisar a forma mais rápida de encontrar um local provisório para os ensaios e iniciar os trabalhos de recuperação do edifício que ficou em escombros”.

“Uma vez que os fatos, toda a indumentária e todos os materiais decorativos arderam, a Câmara da Mealhada mostrou-se também disponível para apoiar os Sócios da Mangueira na resolução deste problema”, segundo o presidente.

Fundada em 1978, a Escola de Samba Sócios da Mangueira era a mais antiga associação local com atividade nesta área, tendo sido várias vezes a primeira classificada do desfile do Carnaval da Mealhada.

No ano passado, venceu o 10.º Troféu Nacional de Samba, disputado em Estarreja, distrito de Aveiro, no equivalente a uma “liga das escolas de samba campeãs do país”.