A Universidade de Coimbra (UC) registou quase dez vezes menos visitantes no percurso turístico em julho, em relação ao registado no mesmo mês em 2019, devido à pandemia de Covid-19, revelou esta segunda-feira a instituição.

A UC, que encerrou o percurso turístico entre 10 de março e 21 de maio devido à pandemia, registou 5.918 visitantes em julho, quando no mesmo mês em 2019 tinham sido contabilizados 55.288 turistas, indicou a universidade, em resposta à agência Lusa. Apesar dessa quebra, a Universidade de Coimbra registou uma “evolução bastante positiva” no número de visitantes entre junho e julho, com um crescimento de mais de 300%, passando de 1.842 para 5.918 turistas.

Devido à pandemia e ao longo período em que o percurso turístico esteve encerrado, a Universidade de Coimbra registou, durante o primeiro semestre deste ano, uma quebra de 81,2% dos visitantes relativamente ao mesmo período de 2019. Ao todo, no primeiro semestre, visitaram a UC 40.776 pessoas.

Em junho e julho, a maioria dos turistas foram de nacionalidade portuguesa (39,96%), seguindo-se a espanhola (14,92%) e a francesa (14,5%), informou a Universidade de Coimbra. Em anos anteriores, a Universidade de Coimbra registava mais turistas estrangeiros do que portugueses.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A título de exemplo, em 2017, o então vice-reitor Luís Menezes referia que os turistas franceses lideravam com cerca de 20% das visitas, seguindo-se os visitantes brasileiros, espanhóis e italianos, aparecendo só depois os portugueses.

No final de julho, a agência Lusa tinha noticiado que a Universidade de Coimbra, na sua projeção orçamental para 2021, previa uma quebra de 50% nas receitas do turismo, face aos valores arrecadados em 2019, devido ao impacto da pandemia.