Em atualização

Um comboio descarrilou durante a manhã desta quarta-feira perto da cidade de Stonehaven, na Escócia, e fez três mortos, entre eles o maquinista, segundo um comunicado da polícia britânica de Transportes. Seis pessoas foram transportadas para o hospital com ferimentos. O acidente ocorreu numa zona muito afetada pela cheias que as chuvas torrenciais provocaram.

Em comunicado, a Polícia britânica de Transportes confirma que três pessoas foram declaradas mortas no local do acidente. Apesar de ainda estar a ocorrer a “identificação formal” dos corpos, a polícia adianta que o maquinista do comboio será uma das vítimas mortais. “A família foi informada e está a ser apoiada por uma equipa especialmente treinada” para situações como esta.

A polícia adianta ainda que seis pessoas foram levadas para o hospital com ferimentos que, acreditam as autoridades, não serão graves. O superitendente chefe Eddie Wyle acrescenta que este é um “acidente trágico”. “Permanecemos no local com os nossos colegas dos serviços de emergência”. O responsável sublinha que o comboio não vinha lotado e que a polícia acredita ter contabilizado todos os passageiros. “No entanto, assim que a área estiver seguro, será realizada uma busca completa, o que provavelmente levará algum tempo”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, usou o Twitter para lamentar os óbitos. “As minhas profundas condolências estão com os familiares dos que perderam a vida neste incidente trágico. Acabei de receber um ponto de situação da Network Rail [responsável pela infraestrutura ferroviária] e dos serviços de emergência. Os meus agradecimentos vão para eles, e os meus pensamentos permanecem com todos os que foram afetados”, escreveu.

Numa primeira reação após o acidente, Nicola Sturgeon disse ter recebido “relatórios iniciais de feridos graves”, depois de ter assumido no Twitter que se trata de um acidente “extremamente grave”.

No local chegaram a estar 30 veículos de emergência médica, incluindo um meio aéreo e nas imagens partilhadas na rede social Twitter pelo jornalista Chris Harvey, da STV News, que esteve no local, é possível ver uma grande coluna de fumo a sair do sítio do acidente.

Outras imagens partilhadas nas redes sociais mostram a dimensão do acidente.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, também reagiu ao acidente. Através do Twitter afirmou que os seus “pensamentos estão com todos os afetados [pelo acidente]” e agradeceu ainda às equipas de emergência que estão no local.

O alerta para o acidente foi dado às 9h43 e foram enviadas para o local equipas de paramédicos e bombeiros. O jornalista Tony Miles, da revista Modern Railway, afirma, citado pela BCC, que o comboio partiu de Aberdeen com destino a Glasgow e terá sido depois de passar em Stonehaven que o maquinista deu conta de um deslizamento de terra. “Ele [o maquinista] foi aconselhado, aparentemente, a levar o comboio de volta a Stonehaven para a retirada de passageiros”, afirma o jornalista. Um segundo deslizamento de terras terá atingido o comboio, composto por quatro carruagens e duas locomotivas.

Fonte oficial da National Rail Scotland disse à LBC News que “ainda é muito cedo para saber a verdadeira gravidade deste acidente”.

Imagens mostram a linha inundada

Pouco após o alerta para o acidente, a Network Rail, empresa proprietária das infraestruturas da rede ferroviária na Escócia, afirmou ter conhecimento de relatos de deslizamentos de terra perto do local onde ocorreu o descarrilamento. As imagens divulgadas mostram a linha inundada.

O jornalista da BBC Davy Shanks relatava, por volta das 2h50, que várias ambulâncias saíam àquela hora do local onde foi montado o dispositivo de emergência médica. Ainda assim, mantém-se uma “forte presença dos serviços de emergência”.

O secretário de Estado dos Transportes, Grant Shapps, disse à BBC que se tratou de um “incidente muito grave”, mas disse que ainda aguarda informação sobre o número de vítimas e das causas do acidente. O responsável desloca-se na quinta-feira ao local, que se encontra num zona “difícil”.

A BBC adianta que já tinham sido registados deslizamentos de terra na parte da linha férrea onde se deu o acidente. A 22 de outubro de 2002, a circulação na linha que liga Aberdeen a Dundee foi suspensa devido a um deslizamento de terra provocado por chuvas torrenciais e vento forte. Além disso, um relatório da Network Rail incluiu, em 2014, o local do acidente na lista de zonas “que, em anos recentes, foram muito afetadas por deslizamentos de terra”.