As praias de São Pedro do Estoril e de Carcavelos, em Cascais, foram reabertas esta quarta-feira, depois de terem estado encerradas devido à presença de Medusa Velella, confirmou o Observador junto de fonte da Capitania do Porto de Cascais. Já a praia do Magoito, em Sintra, foi interditada.

Nas praias de São Pedro do Estoril e de Carcavelos tinha sido hasteada, na terça-feira, a bandeira vermelha após ter sido observada a presença de Medusa Velella, uma espécie com características semelhantes à caravela-portuguesa e que pode criar reações na pele em caso de toque, embora com menor gravidade. Esta quarta-feira, a restrição foi levantada nessas praias: em São Pedro do Estoril, não foi observada esta espécie; em Carcavelos, foram observados alguns organismos “ao final da manhã”, mas, “ao longo do dia, já não se verificou a entrada na praia de novos organismos gelatinosos”, disse o comandante Rui Teixeira, adjunto do capitão do porto de Cascais.

Bandeira vermelha nas praias de Carcavelos e de São Pedro do Estoril depois de detetada Medusa Velella

Porém, durante a tarde, a presença de Medussa Velella foi registada na praia do Magoito, em Sintra, pelo que “em articulação com a delegada de Saúde de Sintra e com a Câmara Municipal de Sintra, foi decidido hastear a bandeira vermelha e interditar a praia a banhos”.

As autoridades vão continuar a monitorizar a situação. A praia está agora a ser limpa pela Câmara Municipal para permitir, na manhã de quinta-feira, uma primeira avaliação de como evoluiu a situação durante a noite. “Assim que a normalidade seja reposta, tomaremos novas decisões”, afirmou o comandante.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), a Medussa Velella é uma espécie de ocorrência comum com tentáculos pequenos e ligeiramente urticantes, pelo que é “aconselhável evitar o contacto direto com os mesmos de forma a evitar potenciais reações alérgicas, em caso de maior sensibilidade”. “Não havendo evidências de queimaduras ou problemas de saúde associados, é considerada inofensiva”, assegurou o instituto. Ainda assim, se os banhistas tiverem estado em contacto com a espécie e tenham sido picados, devem aplicar bandas de gelo e, se possível, bicarbonato de sódio.