O PS da ilha das Flores elogiou esta sexta-feira o executivo regional, também socialista, pela apresentação do projeto de reconstrução do porto das Lajes das Flores, destruído pela passagem do furacão Lorenzo em outubro de 2019.

“A destruição do porto comercial das Flores pelo furacão Lorenzo teve um impacto relevante em toda a ilha, quer pelos constrangimentos que provocou ao abastecimento, quer pelo simbolismo e sensação de segurança que o mesmo garante à ilha”, refere o secretariado do PS das Flores em nota enviada às redações.

Segundo os socialistas, “o projeto apresentado pelo Governo dos Açores não só prevê a reconstrução do porto comercial, como representa a reconstrução de uma infraestrutura moderna, de muito maior capacidade e muito mais resistente a fenómenos adversos”.

Para os socialistas florentinos, o novo porto irá assegurar uma “muito maior capacidade de serviço”, com dois cais acostáveis de 140 metros, e um cais acostável de 170 metros, para além de ter “um molhe de proteção com muito maior capacidade de resistência às intempéries e maior proteção para serviço em condições de mar adversas”.

Também esta sexta-feira, o PSD/Açores congratulou-se com o projeto de reconstrução do porto das Lajes das Flores, mas disse temer pelos “atrasos do costume” na construção da obra.

Em nota de imprensa, o deputado regional do PSD Bruno Belo, eleito pelas Flores congratulou-se com a “apresentação do projeto para a obra do porto comercial” da ilha, conhecido esta semana, mas disse temer que a obra “sofra os atrasos do costume”.

“Mais importante do que esta apresentação será sempre a efetivação da obra, a sua realização no terreno”, declarou Bruno Belo, citado em comunicado.

O social-democrata afirmou que o executivo já se encontra “em plena campanha eleitoral” para as eleições regionais, referindo que o projeto apresentado pelo Governo Regional “não passa de um estudo”.

Na quarta-feira, o presidente do Governo açoriano, Vasco Cordeiro apresentou nas Lajes das Flores o estudo para a reconstrução e reordenamento do porto comercial da ilha, cerca de 10 meses após a passagem do furacão Lorenzo, que destruiu por completo a principal infraestrutura portuária das Flores.

O investimento total estimado para esta obra é de 180 milhões de euros, tendo Vasco Cordeiro referido que a obra constitui uma “intervenção estruturante e ambiciosa” que permitirá “repensar toda a aérea portuária” atingida.

A passagem do furacão Lorenzo, em outubro de 2019, causou graves danos em setores públicos e no setor empresarial privado, com perdas estimadas pelo executivo açoriano em cerca de 330 milhões de euros.

O Governo da República demonstrou disponibilidade para cobrir cerca de 85% desse valor, dividindo-se o restante entre o Fundo de Solidariedade da União Europeia e o esforço da região.