Pelo menos 62 pessoas morreram e mais de 13 mil casas colapsaram com as fortes chuvas que caem no Sudão desde finais de julho, segundo o último balanço oficial de vítimas e danos fornecido neste sábado pelas autoridades do país.

De acordo com um comunicado do corpo de emergência da Defesa Civil sudanesa, há ainda 24 feridos resultantes das chuvas torrenciais e 13.828 casas colapsaram, enquanto outras 16.305 ficaram parcialmente danificadas, entre elas 88 instalações públicas como escolas.

Por seu lado, o gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU (OCHA) no Sudão reportou 185 mil afetados pelas chuvas em 17 estados deste país africano, sendo os mais afetados Al Yazira (centro) e Kassala (este).

A estação das chuvas no Sudão começa em junho e prolonga-se até outubro.