Impulsionado pela necessidade de abandonar os motores de combustão, cuja comercialização o Reino Unido anunciou pretender banir em 2035, o grupo britânico Jaguar Land Rover (JLR) prepara-se para agir em conformidade. A Jaguar, com modelos mais leves e mais aerodinâmicos, deverá continuar a apostar em motorizações eléctricas, com a energia armazenada em packs de baterias, como já acontece com o I-Pace e a futura berlina topo de gama XJ, esperada já em 2021. Mas a Land Rover seguirá um rumo distinto.

Para a Land Rover, cujos veículos são tipicamente mais pesados, mais altos e mais volumosos, ou não fossem eles dos SUV mais respeitados no mercado, os ingleses têm outra estratégia. Em vez de armazenar a energia em baterias, abastecidas a partir da rede eléctrica, a estratégia passa pela produção de electricidade a bordo com recurso a células de combustível a hidrogénio, vulgarmente conhecidas como fuel cells.

O imponente Range Rover será sempre demasiado grande e pesado para atingir a mesma autonomia de um Renault Zoe ou de um Tesla Model 3 com o pack de acumuladores similar. Daí que, para evitar o transporte de packs de baterias muito grandes, caros e pesados, a Land Rover considere preferível optar pelas fuel cells para alimentar os seus SUV. Estas produzem electricidade a partir do hidrogénio que transportam a bordo, gás que por sua vez é muito mais rápido de recarregar do que as baterias.

No projecto Zeus, apoiado pelo Governo britânico – que alocou 81,2 milhões de euros para medidas que visem reduzir as emissões de dióxido de carbono –, a JLR não está só, uma vez que trabalha com a Delta Motorsport, Marelli Automotive Systems e a UK Battery Industrialization Center, todas elas a tentar fazer evoluir mais rapidamente o uso de hidrogénio ao serviço dos transportes rodoviários, através de fuel cells mais eficientes.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A JLR espera ter, em breve, um protótipo funcional de um veículo eléctrico alimentado por fuel cells, para testar e fazer evoluir a solução tecnológica. A ideia é depois transpô-la para o concept de um SUV com as dimensões do Evoque.

O Reino Unido é, juntamente com a Alemanha, um dos países mais avançados no uso de hidrogénio para locomoção de veículos, existindo vários locais com estações de abastecimento de H2, especialmente onde há frotas que o utilizam, sobretudo veículos pesados.