A polícia angolana deteve, em Luanda, o principal mentor de um grupo que falsificava comprovativos de testes da Covid-19, foi esta terça-feira anunciado pelas autoridades.

De acordo com uma nota de imprensa do Ministério do Interior de Angola, o grupo estava sediado no mercado dos Kwanzas, em Luanda, tendo a detenção do suspeito ocorrido naquele local, depois de uma investigação policial.

A nota acrescenta que o cidadão, de 30 anos, que confessou ser o autor de todos os documentos falsos apreendidos, será presente ao Ministério Público para os procedimentos processuais necessários.

Angola regista, desde março até à presente data, um total de 1.935 casos, dos quais 88 óbitos, 632 recuperados e 1.215 ativos, incluindo cinco doentes em estado crítico, com ventilação mecânica invasiva e 19 graves.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A província de Luanda, capital de Angola, é o epicentro da doença e está sob cerca sanitária desde o registo dos primeiros casos no país, com algumas exceções para saída, para as quais é exigida a apresentação de um teste de Covid-19.

A pandemia de Covid-19 já provocou pelo menos 770.429 mortos e infetou mais de 21,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em África, há 25.618 mortos confirmados em mais de 1,1 milhões de infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.