A Ordem dos Contabilistas Certificados continua a receber denúncias de profissionais que estão a ser pressionados pela banca a prestarem falsas declarações sobre a quebra de faturação para aderirem indevidamente à linha de crédito de mil milhões de euros. As queixas “continuam a chegar” – são já mais de 100 – e envolvem gestores de contas dos “principais bancos portugueses”, disse a bastonária Paula Franco, à Rádio Observador.

Bastonária da Ordem dos Contabilistas: Pressão da banca continua

Os principais bancos portugueses estão todos envolvidos. Estamos a falar dos gestores de conta” que “querem cumprir os seus plafonds“, afirmou Paula Franco, sem identificar as entidades em causa. A bastonária não acredita, porém, que haja “ordens superiores” para que os profissionais da banca estejam a pressionar os contabilistas a declararem falsamente quebras de faturação de, pelo menos, 40% para que tenham acesso à linha de crédito de mil milhões de euros destinada a micro e pequenas empresas, com garantias do Estado, tal como tinha denunciado.

As provas que a Ordem está a recolher, e que “continuam a chegar”, serão encaminhadas para o Ministério Público “até ao final do mês”. Em causa estão emails trocados “entre funcionários dos bancos e empresas e dos empresários para os seus contabilistas”, assim como declarações assinadas indevidamente.

“Esta não é a forma correta de ajudar”, alerta Paula Franco, acrescentando que os contabilistas incorrem num crime público caso mintam sobre a faturação para aceder a um apoio público. Estão a ser identificados os balcões e as pessoas que “aliciaram os empresários”, tal como os próprios empresários.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Até ao momento, a Ordem não recebeu qualquer reação por parte da banca à denúncia da bastonária. “Não entraram em contacto connosco“, afirmou Paula Franco. Ao Observador, o Ministério da Economia disse que apenas soube da denúncia pela imprensa e que espera pela investigação. “A Senhora Bastonária referiu entretanto que a Ordem encaminhará para o Ministério Público as provas de que dispõe para serem, como deverão ser, devidamente investigadas. No caso de se virem a provar as ilegalidades denunciadas pela Senhora Bastonária, serão, naturalmente, analisadas e punidas nos termos da Lei”.

O sistema do Fisco que cobrou multas indevidamente e os esquemas da banca. As dores de cabeça das empresas na hora de pedirem ajuda

Questionada sobre as consequências para os contabilistas, Paula Franco respondeu que “todas as ordens profissionais têm os seus conselhos jurisdicionais. Depois, têm a parte disciplinar. As queixas seguem para aí. Pode levar à expulsão“.

A bastonária adiantou ainda que, embora as normas contabilísticas sejam “muito rigorosas”, há casos de contabilistas, mesmo no pré-pandemia, que desrespeitaram a lei e foram punidos ou com “a aplicação de multas”, com “suspensões durante vários anos”, ou com a expulsão.