O Chega vai ser o primeiro partido a fazer a rentrée política este ano, com uma iniciativa em Loulé, no Algarve, na próxima quarta-feira, na qual participará o líder demissionário e deputado único, André Ventura.

Ao contrário da informação prestada à Lusa pelo presidente do partido na semana passada, a rentrée do Chega não será no dia 26 de setembro, mas em 26 de agosto (quarta-feira). Assim, a iniciativa acontecerá antes da eleição do novo presidente e da segunda Convenção Nacional do partido, ambas marcadas para setembro.

Este evento, que é a primeira vez que o partido assinala a rentrée’política, contará com um encontro dos militantes com dirigentes do partido, jantar e discursos, entre os quais o de André Ventura e, segundo o presidente da distrital de Faro, são esperadas algumas centenas de pessoas.

Este ano, a pandemia de Covid-19 levou os partidos a não organizarem as tradicionais ‘rentrées’ e a encontrarem outras formas de assinalar o arranque da nova sessão legislativa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Contactado pela Lusa na semana passada, o PS lembra que estão agendados os congressos federativos para o fim de semana de 12 e 13 de setembro.

O PSD, em meados de abril e maio, anunciou que este ano não irá realizar a festa do Pontal, no Algarve, nem o Chão da Lagoa, na Madeira, devido à pandemia, justificando a decisão com “as regras do bom senso”. Também a tradicional Universidade de Verão não irá acontecer em 2020.

Tanto o PSD como o PAN indicaram que não está previsto nenhum evento no âmbito da ‘rentrée’.

O BE cancelou o habitual Fórum Socialismo, mas fonte bloquista disse à Lusa que o partido “fará ‘rentrées’ distritais nas duas primeiras semanas de setembro, de menor dimensão e com eventos sempre ao ar livre, com programas variados”, alguns com a presença da coordenadora, Catarina Martins, e “sempre cumprindo todas as regras de segurança sanitária”.

Por seu turno, o CDS-PP, através da secretaria-geral, indicou que o partido pretende assinalar o reinício da atividade parlamentar e política nos Açores, onde em outubro vão decorrer eleições regionais, mas remeteu os detalhes do evento para o final desta semana.

Já a Iniciativa Liberal, outro dos partidos que se estreou na Assembleia da República nesta legislatura, salientou que “tem mantido a sua atividade” e que “só faz ‘rentrée’ [regresso] quem faz ‘sortie’ [saída]”.

Dos eventos que assinalam a entrada no novo ano parlamentar, e que decorrem habitualmente entre final de agosto e início de setembro, apenas o PCP decidiu manter a Festa do Avante!, embora com regras diferentes devido à pandemia.

De acordo com o partido, esta festa – cuja realização está envolta em polémica e foi alvo de várias críticas – vai decorrer com cerca de 33 mil pessoas, um terço da capacidade total, será obrigatório o uso de máscara no acesso a espaços e serviços de atendimento, haverá corredores de circulação, regras de distanciamento, álcool gel distribuído no recinto e um maior número de eventos ao ar livre.

A 44.º edição da Festa do Avante! decorrerá entre 04 e 06 de setembro, nas quintas da Atalaia e do Cabo da Marinha, na Amora (distrito de Setúbal).